“Tentaram macular minha imagem”, diz deputado após absolvição

Marcos Reátegui foi o único absolvido no julgamento de quarta-feira, 31, pelo TRE. Mira e Robson Rocha foram condenados
Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O deputado federal Marcos Reátegui (PSD) disse nesta quinta-feira, 1º, que a ação movida contra ele por abuso de poder econômico nas eleições de 2014 foi uma tentativa de “macular sua imagem”. O parlamentar, que já tinha absolvido num primeiro julgamento no ano passado, foi novamente inocentado na quarta-feira, 31.

“O recurso da Procuradoria Eleitoral não passou de uma tentativa rasteira de requentar um fato já amplamente investigado e apurado. Vale lembrar que já no primeiro julgamento desses fatos, no final de 2015, o TRE havia reconhecido de forma clara a minha inocência. Ontem isso foi confirmado em sede de recurso”, comentou.

Reátegui, a deputada estadual Mira Rocha (PTB) e o prefeito de Santana, Robson Rocha (PR), estavam sendo acusados pelo Ministério Público de contratar servidores para a prefeitura em troca de votos. Reátegui, que já tinha sido inocentado por 7 votos a zero, criticou a confiabilidade das testemunhas afirmando que eles se contradiziam em relação a ele.  

“Depoimentos testemunhais caracterizados por denuncismo barato, sem qualquer elemento concreto capaz de lhes dar credibilidade e, ainda, flagrantemente contraditórios entre si. Isso não poderia ser – como não foi – suficiente para condenar alguém”, disparou.

“Nunca duvidei do Poder Judiciário, pois sempre tive a consciência tranquila. Essa serenidade, que me acompanhou ao longo de todo esse processo, se deve à certeza de que nunca cometi nenhuma conduta ilegal ao longo da minha vida pública”, concluiu.

Mira Rocha ainda poderá recorrer ao TSE permanecendo no cargo.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.