Acácio volta a cobrar prestação de contas; PMM diz que houve equilíbrio com cortes

Presidente da CMM diz que Câmara apoiou redução de gastos, mas prefeitura não explicou que economia foi gerada
Compartilhamentos

Vereadores eleitos em Macapá no dia 2 de outubro foram recebidos na terça-feira, 11, pelo presidente da Câmara de Macapá, Acácio Favacho (PROS). O evento de boas vindas, no entanto, virou um ato com críticas à gestão do atual prefeito, Clécio Luis (REDE), candidato à reeleição. A Prefeitura de Macapá rebateu. 

Acácio Favacho é um dos coordenadores da campanha do candidato Gilvam Borges (PMDB), que disputa com Clécio o 2º turno da eleição em Macapá.  

O receptivo aos novos vereadores começou com um café da manhã, e depois seguiu com uma visita às instalações do prédio da Câmara de Vereadores, que passou por reforma e adaptações. Em seguida, houve uma breve reunião e uma sessão ordinária, a 43ª da atual legislatura.  

Acácio na tribuna: críticas

Acácio na tribuna: é preciso explicar a economia gerada com cortes

Ao ocupar a tribuna, Acácio disparou. Voltou a cobrar uma prestação de contas da economia gerada com cortes de gastos na prefeitura.  

“A Câmara aprovou o corte em alguns setores para que a PMM pudesse investir em setores prioritários, mas até agora nada, nem investimento, nem prestação de contas”, disse ele, sugerindo que sejam feitos cortes nos setores de comunicação  e secretaria extraordinária.

Apesar da crise, serviços continuam funcionando, diz assessor

Apesar da crise, serviços continuam funcionando, diz assessor

Acácio também disse que Clécio Luis teria se posicionado contra a construção do Conjunto São José, um dos destaques da propaganda eleitoral do candidato da REDE.

A prefeitura rebateu as críticas. O coordenador de comunicação da PMM, Diniz Sena, disse que foi Clécio Luis, no início do mandato como prefeito, quem encaminhou para a Câmara de Vereadores o projeto de construção do Conjunto São José.

Quanto à economia gerada com cortes de gastos, ele disse que a melhor prestação de contas é a continuação dos serviços.

“Os salários estão em dia, acabamos de pagar o 13º dos servidores, e, apesar da crise, a prefeitura vem conseguindo manter todos os serviços, como coleta, tratamento do lixo, escolas, unidades de saúde, e estamos realizando obras. O jogo eleitoral não pode ser do vale tudo”, pontuou Sena. 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.