Compartilhamentos

SELES NAFES

A Polícia Civil e o Grupo Tático Aéreo (GTA) encontraram os restos mortais do comerciante Antônio Carlos Santana, de 68 anos, que estava desaparecido desde o último dia 15, no arquipélago do Bailique, a 150 quilômetros de Macapá.

Os restos mortais, com uma corda enrolada no pescoço, estavam numa área seca entre muitas árvores. O local foi indicado pelo adolescente de 16 anos que foi apreendido no último dia 18 como o principal suspeito do crime.

Em depoimento, ele chegou a dizer que havia cometido o assassinato com ajuda de outra pessoa, mas a polícia já descartou essa tese.

Corpo do comerciante foi encontrado ainda com a corda no pescoço: Fotos: GTA/Divulgação

Corpo do comerciante foi encontrado ainda com a corda no pescoço: Fotos: GTA/Divulgação

Na tarde desta sexta-feira, ele levou policiais do Departamento de Polícia do Interior (DPI) e do GTA até o local, a cerca de uma hora de barco da Vila Progresso, uma das oito ilhas habitadas do arquipélago.

No dia do crime, ele e o comerciante estavam viajando sozinhos na embarcação. 

“Quando chegaram perto da vila, o adolescente pegou uma corda da embarcação, fez um laço e enforcou a vítima. Ele tomou o sentido contrário, e depois de uma hora encostou num barranco, e foi puxando o corpo pela corda até uma área onde a maré não alcança”, relatou o delegado Moisés Leandro, da DPI.

Com apoio do GTA, foi possível localizar o corpo em local de difícil acesso

Com apoio do GTA, foi possível localizar o corpo em local de difícil acesso

O delegado acompanhou os policiais e o acusado até o local do crime. Segundo ele, tratou-se de um latrocínio.

“A vítima tinha um motor novo na embarcação. O acusado queria ficar com o motor, que era avaliado em R$ 9 mil”, explicou o delegado.

O menor continua no Centro Socioeducativo de Internação Masculina (Cesein). Com a confissão e a localização do corpo, o caso está praticamente encerrado, e deve ser enviado para o Ministério Público até a semana que vem.

Compartilhamentos