Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Sabe aquelas coisas que você ganhou de presente do(a) ex namorado (a) que só lhe trazem lembranças doloridas de uma relação que já terminou? Pois é, um grupo de amigos decidiu desapegar de vez e promover o ‘Bazar do Ex’. O evento ainda nem aconteceu e já é sucesso nas redes sociais.

gilzion-reis

Gilzion Reis. Ideia inicial era ajudar um amigo. Foto: Cássia Lima.

A ideia do Bazar surgiu quando os amigos Gilzion Reis, de 21 anos; Natália Lopes, de 19 anos e Kellven Vilhena, de 25 anos, todos estudantes de jornalismo da Universidade Federal do Amapá (Unifap), viram um amigo passando por um termino de namoro e com dificuldade de esquecer a ex por causas das coisas e presentes que recebeu dela.

“No início era só uma brincadeira, mas quando contávamos pra outras pessoas mais amigos apareciam para dizer que era uma boa ideia. Percebemos que temos muitas coisas que ficaram de relacionamentos passados, e como seria bom se desapegar emocionalmente e ainda faturar dinheiro com isso. Então decidimos levar a sério e criamos o evento no facebook”, explicou Gilzion Reis.

Na página do Bazar no facebook já tem confirmadas 180 pessoas. O foco do evento é a troca e venda de tudo que ficou de relacionamentos, principalmente livros, roupas, sapatos e histórias para socializar.

Outros brechós também participarão do evento que ganhou uma boa repercussão nas redes sociais. Foto: arquivo

Outros brechós também participarão do evento que ganhou uma boa repercussão nas redes sociais. Foto: arquivo

“Estamos com uma boa divulgação e já chamamos outros brechós e parceiros. Vai ser uma coisa bem divertida. Vamos desapegar emocionalmente dessas coisas que lembram as ex’s e que às vezes nos magoam. A gente sabe que fim de relacionamento sempre é chato e traz sofrimento pra todo mundo. Essa é uma forma divertida de desapegar”, frisou Kellven Vilhena.

O evento, organizado pelo Espaço Acadêmico e Endorfina Geek ,acontece no dia 12 de novembro, sábado, das 15h às 22h, na Praça Veiga Cabral, no Centro de Macapá. A própria escolha do local tem a ver com o tema por ser um ambiente democrático.

“Qualquer pessoa vai poder participar. Estamos pedindo para entrar em contato conosco pelas redes sociais só pra gente saber quem vai tá, o que vai comercializar e principalmente, ajudar com publicações no evento”, disse Gilzion.

Cartaz de divulgação

Cartaz de divulgação

Ele conta que teve um relacionamento de 4 meses que terminou por incompatibilidade de “gênios”, mas livros e roupas da ex ficam causando tortura em casa. Isso ele vai vender no bazar, mas a ideia é também arranjar espaço no armário para coisas novas.

“Isso de desapegar é muito simbólico, é acaba sendo uma metáfora pra vida de deixar o antigo ir embora pra dar espaço ao novo. É isso que vamos fazer emocional e materialmente no bazar”, explicou o estudante.

Compartilhamentos