Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A pesquisa mensal de preços, feita pela Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), no mês de setembro mostra que a Cesta Básica Oficial de Macapá chegou a R$ 425, 27. O aumento é de 2,23% em relação ao mês anterior, quando o valor era de R$ 415,67.

Foram monitorados os preços de 329 estabelecimentos comerciais e de serviços em Macapá. Apresentaram alta 10 dos 12 produtos que compõem a cesta básica. Somente o preço do tomate e do pão francês recuaram, 2,23% e 5% mais baratos, respectivamente.

O feijão subiu 10,13% e o arroz 5,15%. O leite em caixa saltou para 4,36%. Ois itens mais caros da Cesta Básica Oficial são a proteína animal, no caso a alcatra (R$ 25, 46), a manteiga (R$ 25,19) e o café (R$ 16,88).

O aumento compromete 48,33% do salário mínimo. A Cesta Básica Oficial pesquisa valores de produtos alimentícios de uma quantidade mensal mínima para alimentar uma pessoa adulta.

Cesta regional

De acordo com i Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a média da família amapaense, é de cinco pessoas. É essa quantidade de integrantes que a Seplan levou em consideração para medir outro indicador, a Cesta Básica Regional. Nela, além de produtos alimentícios, entram, ainda, itens de higiene pessoal e artigos de limpeza e manutenção.

O custo das compras da Cesta Básica Regional é relacionado a famílias com cinco integrantes marcou, em setembro, R$ 1.704,81. A nota destas compras compromete 32,29% do rendimento desta família.

IPC

O estudo da Seplan também monitorou o comportamento do Índice de Preço ao Consumidor – indicador econômico que mede a inflação. O resultado para o mês de setembro teve a segunda menor alta no ano, 0,52%. Com este percentual, a inflação acumulada no ano em Macapá chegou a 8,64%. A pesquisa mensura a inflação em cima de preços e serviços consumidos por famílias com renda até seis salários mínimos.

Compartilhamentos