Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Depois de quase 4 horas de bloqueio e negociações, a BR-210, na entrada do município de Porto Grande, foi liberada por manifestantes que exigem o cancelamento de todas as multas geradas do “pardal” instalado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Policiais militares e rodoviários federais negociaram a reabertura da rodovia, depois que uma reunião foi marcada para discutir o problema na próxima segunda-feira, 31.

Os manifestantes são moradores de Porto Grande que alegam não terem sido informados sobre a entrada em funcionamento do aparelho que registra velocidade e fotografa as placas dos carros acima da velocidade máxima permitida.

Contador de velocidade apagado: moradores dizem que não sabiam que pardal estava funcionando. Fotos: Olho de Boto

Contador de velocidade apagado: moradores dizem que não sabiam que pardal estava funcionando. Fotos: Olho de Boto

"Técnico vivia dizendo que só funcionaria no ano que vem"

“Técnico vivia dizendo que só funcionaria no ano que vem”

O equipamento foi instalado na BR-210, em agosto, chegou a ser danificado, mas voltou a funcionar. Os moradores já fizeram três atos públicos bloqueando a rodovia.  

“Nós fomos pegos de surpresa. Todo mundo achava em Porto Grande que o pardal não estava funcionando. Os técnicos disseram que ainda estava em fase de teste e vinha um pessoal do Inmetro para verificar se estava tudo certo”, disse um taxista.

“Se eu vender meu carro não conseguirei pagar as multas”, acrescentou o taxista que diz ter quase R$ 3 mil em multas.

Longo congestionamento se formou na BR-210

Longo congestionamento se formou na BR-210

Policiais rodoviários e militares acompanharam o protesto, e conseguiram negociar a liberação

Policiais rodoviários e militares acompanharam o protesto, e conseguiram negociar a liberação

“Estou com mais R$ 4 mil. Deviam ter avisado pra gente. A gente vivia perguntando pro técnico do Dnit, e ele vivia dizendo que só funcionaria no ano que vem depois de uma campanha educativa”, disse outro morador.

“Estou com 32 multas. Uma falta de respeito. Tinha técnico ontem aí que nem sabia se o radar estava funcionando”, disse Iranir Coelho, outra moradora.

Tem morador com R$ 2,6 mill e até R$ 4 mil em multas

Tem morador com R$ 2,6 mill e até R$ 4 mil em multas

A manifestação gerou um gigantesco congestionamento na rodovia. A cada 30 minutos, o trânsito era liberado por 10 minutos.

No fim da manhã, a rodovia foi liberada depois que a reunião ficou marcada. O encontro na segunda-feira vai reunir representantes do Dnit, moradores e Policia Rodoviária na sede da PRF, na Zona Norte de Macapá.

Compartilhamentos