Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Polícia Federal vai investigar o ato de vandalismo que danificou o radar instalado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) na BR-210, no acesso ao município de Porto Grande, a 105 quilômetros de Macapá.

O Dnit confirmou nesta quarta-feira, 26, que o equipamento instalado em setembro está inoperante há vários dias. 

“Amanhã (quinta-feira, 27) iremos fazer o boletim de ocorrência na Polícia Federal. O equipamento foi quebrado e não está funcionando”, comentou o superintendente do Dnit, Fábio Vilarinho.  

Nesta quarta-feira, por volta das 14h, moradores voltaram a fazer manifestação na entrada da cidade. Eles querem o cancelamento das multas. Na semana passada, em outro ato, eles incendiaram pneus e chegaram a bloquear a BR durante alguns instantes.

Alguns dizem que motoristas possuem até R$ 60 mil em multas, e que a comunidade não foi avisada pelo Dnit sobre o funcionamento do aparelho.  

Motoristas bloquearam a BR-210 na semana passada em protesto contra a grande quantidade de multas. Foto: arquivo

Motoristas bloquearam a BR-210 na semana passada em protesto contra a grande quantidade de multas. Foto: arquivo

Os manifestantes também alegaram que o sistema não mostra quando é ultrapassada a quilometragem.

O Dnit diz desconhecer o número excessivo de multas. Os radares instalados pelo departamento em Porto Grande e na área urbana de Macapá são administrados pela empresa Maxvias, do Paraná.  

 

Compartilhamentos