Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

As regras para as eleições mudaram muito. O uso de propaganda em muros, placas, cartaz e som tem diminuído gradativamente e isso tem causado um efeito positivo para alguns, mas nem tanto para outros. Sem falar nas propagandas televisiva e radiofônica que também sofreram redução.

Para o vigilante Edson Pereira, de 38 anos, a mudança foi muito boa, principalmente no quesito limpeza.

mudancas-nas-eleicoes-5

Para o vigilante, eleições estão poluindo menos a cidade. Fotos: André Silva

“Depois dessas novidades nós pudemos sentir e ver as ruas mais limpas. Você vê que antes até atrapalhava o direito de ir e vir por conta das placas que ficavam por cima da calçadas. Então o ambiente ficou mais limpo com isso.” observou o vigilante.

Há quem acredite que de alguma forma essas novas regras prejudicaram os candidatos. A gari Giovana Alves (foto destaque), de 31 anos, percebe a dificuldade que os candidatos vem enfrentando para apresentar suas propostas.

Antes espaços privilegiados para propaganda eleitoral, os muros com nomes de candidatos ficaram no pasado

Antes espaços privilegiados para propaganda eleitoral, os muros com nomes de candidatos ficaram no passado

“A gente tem visto pouca divulgação dos candidatos. Não ouvimos mais aquelas musicas altas até tarde da noite, o que incomodava muito. Até o tempo da televisão mudou. Pra mim melhorou muito agora pra eles não sei não”, contou Giovana.

Internet

As regras obrigaram os políticos a usarem novas estratégias de marketing e propaganda para mostrar para a população suas propostas, e a internet que se mostrou um campo imenso e inexplorado, agora tem servido de refúgio para quem pretende se eleger.

Thalissa Gouveia

Para Thalissa Gouvêa,  campanha na internet hoje é mais intensa

“Percebermos que a manifestação na internet tem sido mais livre e bem mais ampla do que na rua. Lá, eles se expressam de todas as formas possíveis, tanto de maneira correta quanto incorreta, ofendendo os adversários”, observou a estudante  Thalissa Gouvêa de 19 anos.

Reforma eleitoral busca paridade

As mudanças nas regras das campanhas eleitorais vem acontecendo desde 2009. A reforma eleitoral que veio com a lei 13.165 reduziu o tempo de campanha de 90 para 45 dias, aumentou as inserções nos horários reservados em meios de comunicação e trouxe uma cláusula de barreira ou desempenho, que é aquela que torna obrigatório que o candidato obtenha 10% do coeficiente geral.

Eduardo Tavares.

Eduardo Tavares. Reforma diminui disparidades geradas pelo poder aquisitivo

“A finalidade é garantir a paridade na disputa. O seu João que tem R$ 10 milhões e o seu José que tem apenas R$ 1 mil vai gastar dentro do limite dado pela legislação federal.  Antes era o candidato que dizia quanto iria gastar, hoje é a lei do Tribunal Superior Eleitoral quem vai dizer quanto é esse limite”, explicou  o especialista em Direito Eleitoral, Eduardo Tavares.

Compartilhamentos