Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A publicação internacional Brazilian Beach Systems dedica todo um capítulo para a região litorânea amapaense. O trecho do livro intitulado ‘Beachs of Amazon Coast: Amapá and West Pará’ trata das 19 praias oceânicas e 14 praias estuarinas (dentro do canal do Norte do rio Amazonas) que somam aproximadamente 190 quilômetros de praias na costa do Amapá.

No cenário mundial, o Amapá sempre foi considerado um estado sem praias. Agora o  livro inclui o estado do extremo norte brasileiro oficialmente como um litoral com praias, embora não haja um mar de águas claras, devido a grande quantidade de sedimentos proveniente do Amazonas.

São praias com maior ou menor influência das ondas, mas são praias. Algumas associadas a extensas planícies influenciadas pelas marés e outras bem pequenas, como a que temos próximo a Macapá.

Pesquisadora nas praias do Parazinho (Bailique) e Ilha Vitória (Oiapoque). Fotos: Arquivo pessoal

Praias do Parazinho (Bailique) e Ilha Vitória (Oiapoque). Fotos: Arquivo pessoal

“Temos aqui dentro da cidade algumas praias que são as chamadas ‘praias de bolso’, como aquelas da Área de Proteção Ambiental da Fazendinha (APA), no Recanto da Aldeia, que tem pequenas ondas, mas são praias”, explica a pesquisadora Waldenira Santos, do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA).

Ela destaca que essas praias também são encontradas no litoral do Estado, mas, as maiores em extensão estão localizadas na foz do Rio Flexal até o Sul do Cabo do Cassiporé, na Região do Cunani, próximo a Oiapoque. O acesso a essas praias é pela praia do Goiabal localizado no município do Calçoene.

 

Ilha de Santana: água marrom, mas que não é poluída. Foto: Ralmeida Digital Art

Ilha de Santana:
água marrom, mas que não é poluída. Foto: Ralmeida Digital Art

A pesquisadora é uma das autoras do estudo e a responsável pelo capítulo que trata do estado. Ela conta que a pesquisa é um apanhado de informações que já são estudadas desde o inicio dos anos 2000 e que agora foram divulgadas.

Praias de Fazendinha

Praia de Fazendinha

Waldenira Santos disse que as praias podem ser usadas como rota turística, e o que falta realmente é a criação de uma cadeia de apoio ao ecoturismo e as empresas que desenvolvem esse tipo de trabalho no estado.

“As limitações estão as vezes nas nossas próprias cabeças que pensamos que as pessoas não poderiam visitar praias como as nossas, banhadas pelo Rio Amazonas. Quem não visitaria uma praia diferente de outros locais do mundo com a cor da água marrom? Podemos ter praias com águas verdes ou azuis (no restante do Brasil), mas que são poluídas”, destaca a pesquisadora do IEPA.

Praia do Goiabal, em Calçoene. Foto: Arquivo

Praia do Goiabal, em Calçoene. Foto: Arquivo

O trecho sobre as praias amapaenses foi elaborado em conjunto com o maior especialista em praia no mundo, Dr. Andrew Short, da Universidade de Sidney, na Austrália, e o pesquisador Amilcar Mendes, do Museu Paraense Emílio Goeldi.

Araguari

Araguari

O livro

A obra trata sobre os 4 mil sistemas de praias que formam a maior parte dos 9 mil quilômetros e comprimento da costa brasileira. É o primeiro livro já escrito sobre o tema.

A costa brasileira se estende desde o Rio Amazonas poderoso e suas margens enlameadas no norte, a uma das mais longas praias de areia do mundo no sul do Rio Grande do Sul. Ele contém todos os tipos de praia a partir das ondas de maré-dominado que variam em tamanho de pequenas praias encastradas para as praias de barreira longos.

Compartilhamentos