Compartilhamentos

HUMBERTO BAÍA, DE OIAPOQUE

A Polícia Civil de Oiapoque tem mais uma morte para investigar supostamente relacionada ao médico ginecologista Detimar Sarmento, preso no último dia 30 por homicídio culposo após a morte de uma paciente. Desta vez, um jovem de 19 anos morreu no Ciosp de Oiapoque, a 590 quilômetros de Macapá, depois de ser examinado e liberado pelo médico que o atendeu no hospital da cidade.

Na madrugada da segunda-feira, 4, Érique Wilame Góes, de 19 anos (foto de capa), foi espancado por populares no Bairro do Planalto acusado de participar de um assalto.

Com a chegada da Polícia Militar, o jovem foi levado até o hospital da cidade para receber cuidados médicos. Quem lá estava de plantão, após pagar R$ 10 mil de fiança, era Detimar Sarmento.

Diretor do hospital, capitão BM Domingos: registros do atendimento não foram encontrados

Diretor do hospital, capitão BM Domingos: registros do atendimento não foram encontrados

O médico examinou e decidiu liberar o acusado para ser conduzido até o Ciosp de Oiapoque, junto com o irmão menor que também estava na confusão. Momentos depois de chegar à delegacia, o irmão mais novo percebeu que havia algo de errado com Erique, que não se movia mais e nem respirava. Os policiais foram chamados e constataram que ele estava morto.

O site SELESNAFES.COM ouviu a família de Erique Wilame, que garantiu que ele não era criminoso. A mãe, que não quis ser identificada, disse que o rapaz tinha bom comportamento, tinha concluído o ensino médio e trabalhava com carteira assinada em uma malharia na cidade. Ele também não possuía antecedentes criminais.

Hospital abriu três procedimentos contra o médico. Fotos: Humberto Baía

Hospital abriu três procedimentos contra o médico. Fotos: Humberto Baía

O corpo de Erique Wilame foi encaminhado para Macapá, onde passará por necropsia na Polícia Técnica do Amapá (Politec). Agora a família quer saber por que o médico de plantão liberou o rapaz, mesmo estando gravemente ferido.

O site tentou falar com o médico no hospital, mas ele tinha viajado para Macapá. A direção do hospital informou que mais um procedimento administrativo já está em curso. E seria o terceiro contra o médico.

“Até agora não foram encontrados os registros do procedimento feito pelo médico de plantão (no caso do jovem), o que agrava a situação do plantonista”, informou o diretor da unidade, capitão Domingos, que é militar do Corpo de Bombeiros.

Corpo da paciente morta durante cirurgia é transferido no dia 1 para a Politec de Macapá

Corpo da paciente morta durante cirurgia é transferido no dia 1 para a Politec de Macapá

No dia 30, Detimar Sarmento foi preso por homicídio culposo após a morte de uma paciente durante uma cirurgia para a retirada de um mioma. A polícia afirma que a cirurgia, que é eletiva, não poderia ter sido realizada no hospital de Oiapoque, que seria preparado apenas para urgências e emergências.  

Compartilhamentos