Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Justiça Eleitoral do Amapá desmentiu a ‘notícia’ espalhada nas redes sociais de que o candidato a prefeito de Macapá, Gilvam Borges (PMDB), teve candidatura cassada.  O pedido do Ministério Público Eleitoral e até a assinatura do juiz auxiliar Moisés Ferreira Diniz são falsos.

“A suposta decisão se trata de montagem e,  sequer, a assinatura corresponde a do juiz. O magistrado não exarou nenhuma decisão liminar nesse sentido, pois o juiz possui competência limitada para fiscalizar a propaganda eleitoral”, informou o juiz Adão Carvalho, da 2ª Zona Eleitoral de Macapá.

Pedido e a assinatura são falsos, informou o juiz Adão Carvalho

Pedido e a assinatura são falsos, informou o juiz Adão Carvalho

O número do processo também não corresponde à ação de investigação judicial eleitoral protocolada neste sábado, 1º, pelo MPE.

Uma ação do MPE pede mesmo a cassação da candidatura de Gilvam Borges por compra de votos e abuso de poder político (caso dos lotes que seriam doados pelo GEA), mas o pedido ainda não foi julgado pelo juiz Adão Carvalho.

A única novidade até agora nesta ação foi a determinação do magistrado para que os acusados sejam notificados.

O juiz comunicou o fato sobre o fake à Polícia Federal.

Compartilhamentos