Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O Dia das Crianças é uma data para ser comemorada com presentes, a presença dos pais e muito alegria e saúde. Infelizmente para muitas crianças não é assim, principalmente para quem está doente. Estudantes de enfermagem de uma faculdade em Macapá foram desafiados a levar um pouco de alegria para o Hospital da Criança e do Adolescente, na manhã desta quarta-feira, 12. E conseguiram.

Eles acreditam que com um pouco de palhaçada, contação de histórias e distribuição de brinquedos, é possível espantar a tristeza.

Esudante de enfermagem Ingrid: professora desafiou

Estudante de enfermagem Ingrid: professora desafiou

criancas-jone-e-famila

Agricultor Jones com a esposa e filha internada: “lembrei da minha infância”. Fotos: André Silva

“Nossa proposta é trazer uma manhã de lazer para eles. A ideia partiu da nossa professora, ela nos desafiou a fazer algo neste dia que pudesse beneficiar algumas crianças. Como acadêmicos de enfermagem pensamos: por que não levar isso pra dentro de um hospital?”, conta Ingrid Lorena, de 26 anos.

Não foi difícil encontrar pessoas com histórico parecido naquele ambiente. Crianças internadas há três dias ou até mesmo há dois meses. Os problemas de saúde são variados: espera por cirurgia ortopédica, pneumonia ou aquelas que ainda nem se tem um diagnóstico definido.

Crianças ganharam bolos e doces...

Crianças ganharam bolos e doces…

Júlia doou os brinquedos que eram dela durante a infância

Júlia doou os brinquedos que eram dela durante a infância

Alguns pais também têm trajetórias bem tristes na infância, e tentam fazer com que os filhos não passem pelo mesmo sofrimento.

“Esse é um momento feliz e ao mesmo tempo triste pra mim. Vendo essas brincadeiras que eles estão fazendo para as crianças lembrei-me da minha infância, não sei nem se tive brincadeiras na minha infância, porque sou órfão de pai e mãe. Eles morreram quando eu ainda era muito pequeno e fui criado por uma irmã que eu chamo de mãe e mana, e para o marido dela de pai. Sinto-me alegre em ver essas crianças sorrindo, elas merecem, e acima de tudo merecem o carinho dos pais. Que os pais não desprezem seus filhos”, pede o agricultor, Jones do Reis Santana de 37 anos.

Brincadeiras e contação de histórias

Brincadeiras e contação de histórias

Jones é da região de Cutias e está com a filha internada desde quinta-feira, 6, com infecção urinária.

O sentimento de bondade desperta em muitos, e não depende de idade para isso. A estudante Ingrid Júlia, 17 anos, escolheu esse dia par a doar brinquedos usados.

“Como eu já estou adolescente, resolvi doar os brinquedos que usava quando criança. Eles estão bem conservados, e como eu ouvi que haveria essa ação aqui resolvi trazê-los e doar a essas crianças”, justifica a estudante.

Compartilhamentos