Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Alunos e professores da Escola Estadual Lauro de Carvalho Chaves, no Bairro do Muca, Zona Sul de Macapá, estão indignados com a obrigatoriedade de uma rifa que deve custear a reforma da quadra. De acordo com a comunidade escolar, quem não conseguir vender deve pagar pelas rifas.

As mais de 500 rifas foram distribuídas pela direção da escola para alunos e professores ainda no mês de setembro. Cada pessoa ficou com um bloco de rifas que contem até 10 unidades. Segundo informações, os cupons de sorteio dos alunos totalizam o preço de R$ 15 e a dos professores de R$ 30.

Dinheiro arrecadado é para reforma da quadra da escola. Fotos: Cássia Lima

Dinheiro arrecadado é para reforma da quadra esportiva da escola. Fotos: Cássia Lima

“É um absurdo a direção da escola nos obrigar a pagar por uma obra pública que é competência do estado. Não bastasse a precária educação, o parcelamento de salários e eu ainda tenho que pagar por obra da escola. É o cúmulo mesmo”, disse um professor que pediu para não ser identificado com medo de retaliação.

A rifa será para pagar a reforma da quadra da escola, calculada em R$ 4 mil, que chegou a ser interditada pelo Corpo de Bombeiros, já que as vigas de ferro estão todas corroídas e com risco de cair. A escola tem 26 anos de fundação e nunca passou por uma reforma total.

Cartelas da rifa que custa

Cartelas da rifa que custam R$ 3 cada. Foram entregues blocos com 10 unidades para cada aluno e professor

“Nós alunos não temos dinheiro pra isso. Não estamos podendo usar a quadra por causa das condições, mas também não é certo que a gente pague isso só”, disse uma aluna.

A reportagem do site ouviu mais de 10 alunos e 5 professores que reclamaram da rifa, mas eles não quiseram se identificar com medo de represálias, já que estão passando por avaliações da Secretaria da Educação (Seed).

Escola nunca foi reformada

Escola nunca foi reformada

A diretora da escola, Déa Santos, falou com o site SELESNAFES.COM, mas não permitiu gravações ou fotos. Ela reconheceu a rifa, mas pontuou que foi uma decisão acertada com a comunidade escolar. Frisou ainda que a rifa tem o preço de R$ 3 para todos e que ninguém é obrigado a vender ou pagar.

“A quadra precisa de uma reforma imediata, e como já mandamos diversos ofícios para a Secretaria de Educação (Seed), essa foi a única forma de resolver o problema”, destacou a diretora.

Atualmente, a escola Lauro Chaves tem 600 alunos do quinto ao nono ano do ensino fundamental II. Mesmo com a polêmica, o sorteio da rifa está marcado para o dia 11 de outubro pela manhã na escola.

Professores não quiseram se identificar, temendo retaliações

Professores não quiseram se identificar, temendo retaliações

Seed

A Secretaria de Educação tem 134 solicitações de reparos referente a 2015 e 100 de 2016. Uma equipe da Rede Física iniciou trabalho diário de vistorias técnicas nas escolas para dar celeridade nas solicitações pendentes.

A Seed informou ainda que a escola será inserida no cronograma de visitas técnicas. Após isso, será elaborada uma planilha de custos e planejamento de manutenção para reparos na cobertura da quadra, instalações elétricas e outras demandas.

Compartilhamentos