Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Horas depois da apreensão de drogas no Bairro Cidade Nova, policiais do 6º BPM voltaram a localizar entorpecentes na tarde desta terça-feira, 25. Desta vez, o local escolhido pelos criminosos para esconder o produto, a muralha da Fortaleza de São José de Macapá, surpreendeu até os policiais.

Durante patrulhamento pelo Parque do Forte, os militares abordaram dois homens em atitude suspeita, um deles, conhecido como “Alemão”, foi logo reconhecido. Ele portava algumas porções de maconha prontos para venda.

Policial checa dois sacos com maconha retirados das pedras do monumento. Fotos: Olho de Boto

Policial checa dois sacos com maconha retirados das pedras do monumento. Fotos: Olho de Boto

No total, 85 porções

No total, 85 porções prontas para venda

Alemão, na verdade, se chama Paulo Matheus Machado Magalhães, e tem 21 anos.

“Ele já é bastante conhecido nosso, e age muito nas praças Veiga Cabral e Bandeira”, comentou o sargento Jorge Sá, do 6º BPM.

Interrogados, Alemão e o comparsa acabaram revelando onde haviam escondido mais drogas. No total, 85 porções estavam escondidas em um saco entre as pedras da Fortaleza.

"Alemão" e "Munrá", foragido do Iapen

“Alemão” e “Munrá”, foragido do Iapen

Os dois foram levados para o Ciosp do Pacoval

Os dois foram levados para o Ciosp do Pacoval

Os policiais acreditam que os traficantes estão se afastando de pontos conhecidos de comercialização já saturados pela PM, e procurando nossos corredores para vender.

“Estão vindo abordar estudantes aqui na Fortaleza”, acrescentou o sargento.

Equipe que fez duas apreensões num só dia

Equipe que fez duas apreensões num só dia

PM diz que traficantes estão procurando novos locais para vender

PM diz que traficantes estão procurando novos locais para vender

O comparsa, Edivaldo de Jesus Freitas, o “Munrá”, de 37 anos, é foragido do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).  

Os dois foram presos em flagrante e apresentados no Ciosp do Pacoval pela equipe do 6º BPM, que já pode voltar pra casa com a sensação do dever cumprido. Foi mais um dia foi produtivo, e a sociedade agradece.  

Compartilhamentos