Compartilhe

SELES NAFES

O prefeito de Macapá, Clécio Luis (REDE) se encontrou com representantes da bancada federal nesta segunda-feira, 21, para discutir as emendas que devem ser liberadas no ano que vem, e também para prestar contas de como foram utilizadas as emendas anteriores. A retomada do Hospital Metropolitano é uma das prioridades.  

Cada parlamentar tem direito de indicar R$ 12 milhões em emendas para seus estados. Desse total, 30% acabam sendo retidos pelo governo federal. O restante precisa de plano de trabalho, projeto e aprovação do projeto para ser liberado, caminho que geralmente demora um ano para ser percorrido.

Os deputados e senadores já haviam destinado parte de suas emendas para demandas das cidades, mas concordaram, a pedido do prefeito, em separar uma parte para a chamada “rubrica 99”, uma referência orçamentária que demonstra que a verba ainda não tem destino certo.

Parlamentares destinaram verbas em rubrica genérica, e agora definem onde os recursos serão aplicados. Fotos: Divulgação

Parlamentares destinaram verbas em rubrica genérica, e agora definem onde os recursos serão aplicados. Fotos: Divulgação

“Agora chegou a hora de discutirmos para onde vão esses recursos. Infraestrutura, pavimentação, passarelas, escolas, custeio da saúde, Hospital Metropolitano e Parque Zoobotânico são as nossas prioridades. Temos possibilidade agora de captar cerca de R$ 40 milhões com essas emendas”, explicou o prefeito. 

Clécio Luis informou que a prefeitura tem na conta R$ 6 milhões para reiniciar as obras do Hospital de Metropolitano, mas que ainda faltam mais R$ 9 milhões para concluir a obra. 

“A Caixa Econômica nos informou que libera a obra pra gente licitar até janeiro. A partir daí serão 180 dias de licitação”, adiantou.

Metropolitano deve ser liberado em janeiro para ser licitado. Foto: Cássia Lima

Metropolitano deve ser liberado em janeiro para ser licitado. Foto: Cássia Lima

O senador Davi Alcolumbre (DEM) ainda não definiu em que setores vai destinar emendas, mas disse que o encontro foi importante para que os parlamentares entendessem onde os recursos estão sendo aplicados.

“A prefeitura coloca o que quer fazer, e presta conta do que foi feito com as emendas anteriores. Isso estimula o parlamentar a colocar mais emendas”, avaliou.

As emendas são essenciais, especialmente para prefeituras de médio porte como a de Macapá. Com R$ 5 milhões de emenda do senador, por exemplo, foi possível reformar e aparelhar 15 unidades básicas de saúde de Macapá nos últimos dois anos. 

“Estamos liberando até fevereiro mais R$ 4 milhões para a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e a prefeitura de Macapá irá receber uma patrulha mecanizada com 10 máquinas, entre tratores e retroescavadeiras”,  adiantou. 

Compartilhe