Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O Hospital Universitário do Amapá começa a virar realidade. Na próxima sexta-feira, 2, ocorre a cerimônia de assinatura do contrato e início das obras da unidade de saúde, vinculada à Universidade Federal do Amapá (Unifap). O evento será realizado às 9h, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Umas das mais aguardadas obras na área da saúde do estado, o Hospital Universitário tem previsão para começar a funcionar a partir de 2019, atendendo em média mil pessoas diariamente. 

HU atenderá mil pessoas diariamente. Fotos: Unifap

HU atenderá mil pessoas diariamente. Fotos: Unifap

A concretização do projeto foi conseguida por meio do alocamento de recursos da bancada federal. O hospital será instalado em uma área total de 42 mil metros quadrados, fazendo atendimentos de média e alta complexidade. A previsão é de que 800 profissionais atuem no unidade entre médicos, enfermeiros e técnicos.

Na primeira etapa, os atendimentos de alta complexidade serão de nefrologia e ortopedia. Já na segunda etapa, serão ofertadas consultas e procedimentos em otorrinolaringologia, cardiologia e outras especialidades.

Apesar da crise econômica, que reduziu significativamente os repasses também em nível federal, a bancada federal obteve êxito na busca pelos recursos necessários para a construção do hospital.

Em Outubro deste ano, o senador Davi Alcolumbre (DEM), coordenador da bancada do Amapá, reuniu com ministro da Educação, Mendonça Filho, para garantir o repasse do ministério para a obra do HU.

Senador Davi Alcolumbre: HU é melhoria na saúde e educação da população mais carente. Foto: Ascom

Senador Davi Alcolumbre: HU é melhoria na saúde e educação da população mais carente. Foto: Ascom

O repasse tem o valor estimado de R$ 180 milhões. Cerca de R$ 81 milhões já autorizados pelo Ministério da Educação e outros R$ 100 milhões garantidos pela bancada federal e que serão liberados no decorrer das obras. 

 O HU servirá também de laboratório para os cursos de medicina, enfermagem, fisioterapia, psicologia, educação física, administração e pedagogia.

“A expectativa sobre a conclusão da obra repercute em toda a sociedade pela geração de empregos, melhoria na educação e, muito para diminuir os problemas da população de baixa renda e o sofrimento humano que muitas pessoas são obrigadas a enfrentar pelas condições atuais do sistema de saúde”, disse o senador.

Compartilhamentos