Compartilhamentos

JÚLIO MIRAGAIA

Quatro dias após o assassinato de um estudante dentro da Escola Estadual Francisco Walcy Lobato Lima, localizada no Bairro Nova Brasília, em Santana, professores, técnicos e direção da escola realizaram um dia inteiro de programação em homenagem a vítima, Luan Hasley Gomes da Silva, de 18 anos.

PM e professores conversaram com os estudantes. Fotos: enviadas por professores

PM e professores conversaram com os estudantes. Fotos: enviadas por professores

Durante os três turnos da terça-feira, 29, ocorreram palestras, dinâmicas e exibição de vídeos com o objetivo de motivar os estudantes e incentivar a paz.

A Polícia Militar participou da programação e depois da tragédia de terça, montou um posto próximo da escola.

Dinâmicas buscam superação de trauma e paz na escola

Dinâmicas buscam superação de trauma e paz na escola

Mãe grava vídeo e pede paz

A mãe de Luan, Rosimeire Silva, que é conselheira tutelar no município de Calçoene, gravou um vídeo que foi exibido para os estudantes do turno da noite. No depoimento, ela diz perdoar o menor que cometeu o homicídio do filho e pede para que os alunos não busquem vingança, mas paz.

Rosimeire diz que o menor, conhecido como Matheuszinho, de 13 anos, tem um histórico familiar ruim. O pai foi assassinado, a mãe foi esfaqueada quando estava grávida dele. Ambos eram envolvidos com o tráfico, de acordo com o relato.

Estudantes prestaram homenagens e assistiram depoimento da mãe de Luan

Estudantes prestaram homenagens e assistiram depoimento da mãe de Luan

 “As famílias vivem desestruturadas, porque pai não respeita filho, e filho não respeita pai. Não desejo que nenhum amigo do meu filho pratique ato de vingança, pois a violência gera mais violência”, diz a mãe emocionada.

Assista o vídeo:

Superando o trauma 

A professora de geografia, Thaís Cristina Sá, disse que a programação visa a superação do trauma e a valorização institucional.

“O objetivo é reconstruir a nossa dignidade e elevar a auto estima dos nossos alunos. Todos estão muito apreensivos e estamos tentando acalmá-los”, explicou a educadora.

Professora Thaís com alunos:

Professora Thaís com alunos: a educação necessita de atenção

Thaís está na escola Walcy desde 2014, quando foi convocada por concurso. A professora avalia que a escola, assim como todas as outras, passa por problemas de infraestrutura e segurança que tem como responsável as autoridades.

“Não discriminamos nenhum aluno com pedido de antecedentes escolares. Vivenciei os melhores momentos de minha carreira nessa escola e não penso em sair. Tenho orgulho de pertencer a esse quadro. Lógico que como todas as escolas, estamos pedindo socorro para melhorar nossas condições de trabalho, a educação necessita de atenção”, desabafou.

Direção busca formas de acabar com cultura de violência

Direção busca formas de acabar com cultura de violência

Concurso de vídeos

A coordenadora pedagógica do turno da noite, Renilce França, conta que a partir de agora, uma campanha pela valorização da imagem da escola será realizada. A ideia consiste em realizar eventos relacionados a música, arte e outros meios que possibilitem que a identidade da instituição seja resgatada. Dentro do projeto, um concurso de vídeo está nos planos da instituição.

“A ideia é trabalhar a imagem institucional da escola que tem uma tradição no município e propor a paz para superar o sentimento de violência. Os vídeos serão publicados na internet e os mais populares ganham”, explicou Renilce.

Vídeo: Adriana Mira

Compartilhamentos