Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Nesta quinta-feira, 24, profissionais de diversos veículos de comunicação viveram um dia como policiais militares no quartel do Comando Geral da PM do Amapá, no Bairro do Beirol.

A ideia faz parte de um projeto da polícia amapaense que busca mostrar aos jornalistas a rotina corrida, estressante e importante da polícia.

Os jornalistas de rádio, televisão, web e jornais impressos tiveram que vestir farda e correr logo cedo. Alguns já ficaram ofegantes nos primeiros 200 metros. Depois foram conhecer as armas do dia a dia da polícia e as técnicas para usá-las.

Jornalistas receberam instruções para simulação de uso de armas. Fotos: Cássia Lima

Jornalistas receberam instruções para simulação de uso de armas. Fotos: Cássia Lima

“Isso é um projeto que nós iniciamos já há alguns anos atrás considerando esse estreito relacionamento diário da PM com a imprensa. A imprensa é fundamental na divulgação de nossas ações e por ressoar as dificuldades da sociedade, hoje devem sentir um pouco na pele essa pressão de ser policial”, frisou o comandante geral da PM, coronel Carlos Sousa.

O grupo de jornalistas teve como primeiro treino prático aprender sobre as armas da corporação, especialmente sobre escudos de proteção usados em protestos e treino de cães. O jornalista Salgado Neto, da Rede Amazônica, contou a experiência.

“É uma roupa que pesa mais que eu. Já é difícil andar com ela e treinar um animal então é complicado. O dia nem terminou e já senti a carga do policial”, frisou.

O jornalista Salgado Neto participando de simulação:

O jornalista Salgado Neto participando de simulação…

 

Salgado Neto conta sobre a dificuldade no treinamento de cão policial: roupa pesada e cansaço

Salgado Neto conta sobre a dificuldade no treinamento de cão policial: roupa pesada e cansaço

O cronograma de atividades do grupo foi comandado pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope). Para o comandante do Batalhão, tenente coronel Jackson Rodrigues, a carga de trabalho foi pesada.

“Ambas as profissões tem seu próprio estresse, mas eles serão submetidos a uma carga de maior intensidade porque nosso trabalho é mais técnico e de esforço físico. Nosso objetivo não é cansar ninguém, é mostrar como nosso dia a dia é bem sobrecarregado”, disse o tenente coronel.

Tenente coronel Jackson Rodrigues: trabalho pesado

Tenente coronel Jackson Rodrigues: trabalho pesado

Profissionais de diversos meios de comunicação participaram da atividade promovida pela PM

Profissionais de diversos meios de comunicação participaram da atividade promovida pela PM

No fim da manhã de atividades, as profissões foram invertidas. Os jornalistas se passaram por policiais e os PM’s por jornalistas. O objetivo era participar de uma simulação de protesto dentro do quartel com manifestantes furiosos e os policias fazendo o trabalho da imprensa.

Compartilhamentos