Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Estudantes, servidores e professores da Universidade Federal do Amapá (Unifap) ocuparam a Rodovia Juscelino Kubitschek na manhã desta sexta-feira, 11. O ato simbólico foi para marcar a ocupação efetiva dos alunos na universidade como resistência a diversas medidas do governo federal, dentre elas a PEC 55.

O movimento paralisou por alguns minutos o trânsito na Rodovia JK e fechou o portão principal da universidade. Os manifestantes realizaram uma assembleia geral para debater os efeitos na educação da PEC 55, mais conhecida como PEC do Teto de Gastos.

Estudantes, técnicos e professores paralisaram a universidade nesta sexta-feira, 11. Fotos: José Antônio

Estudantes, técnicos e professores paralisaram a universidade nesta sexta-feira, 11. Fotos: José Antônio

A Proposta de Emenda Constitucional pretende alterar a legislação para limitar o crescimento das despesas do governo brasileiro nos próximos 20 anos, tendo efeito para os três poderes, além do Ministério Público da União e da Defensoria Pública da União.

Docentes e servidores também construíram a mobilização, junto com estudantes. Foto: Manoel do Vale

Docentes e servidores também construíram a mobilização, junto com estudantes. Foto: Manoel do Vale

“O movimento de hoje foi tirado na assembleia que tem a participação ampla dos estudantes da universidade. É necessário que se deixe muito claro que a atividade que aconteceu foi um ato simbólico de fechamento do portão principal, e que o portão lateral continua aberto não impedindo a entrada e saída de ninguém”, explicou a estudante Louise Collares, que participou do movimento.

Ocupação

Desde a semana passada, um grupo de 10 acadêmicos já ocupa a reitoria da Unifap, mas segundo os manifestantes desta manhã, eles não legitimam o movimento estudantil que na última quinta-feira, 10, decidiu de forma unificada ocupar a instituição como medida de resistência para combater a PEC 55 (antiga PEC 241) e para dialogar sobre as pautas internas da universidade, como a falta de blocos, água, limpeza e iluminação.

Trânsito ficou lento durante a manhã

Trânsito ficou lento durante a manhã

“Existem dois movimentos de ocupação. Um é legitimado e aprovado em assembleia estudantil com a participação de mais de 300 estudantes e o outro não dialogou com ninguém. O movimento de ocupação é organizado pelos estudantes da universidade de vários cursos, centros acadêmicos, coletivos. Temos diversas pautas para debater e achamos que essa é a melhor forma de falar sobre o assunto”, frisou a estudante.

Os manifestantes continuam com o ato e afirmam que irão ocupar a entrada principal nos próximos dias. Hoje, a partir das 19h, eles terão reunião em frente ao Restaurante Universitário para deliberar sobre um calendário de atividades da ocupação que, segundo os alunos, tem um caráter de conscientização, com uma ocupação cultural e com grupos de estudo.

Compartilhamentos