Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

No próximo dia 2, o Trem Desportivo Club realiza mais uma edição do concurso Rainha das Rainhas, que completa 35 anos. Desde as primeiras edições o concurso vem tomando proporções grandiosas, e esse ano não será diferente, é o que garante a organização do evento.

A organizadora do concurso, Socorro Marinho, lembra que a primeira edição aconteceu em fevereiro de 1982, na sede do Trem. Começou tímida com poucos espectadores, mas com o passar dos anos o público foi aumentando, e em algumas edições o evento teve que durar dois dias.

Nataly Uchôa, de 22 anos, é a atual Rainha das Rainhas. Fotos: André Silva

Nataly Uchôa, de 22 anos, é a atual Rainha das Rainhas. Fotos: André Silva

“Eram praticamente os moradores do Bairro do Trem que participavam, mas o evento foi tomando uma dimensão maior, e resolvemos fazer nos anos seguintes. Até pessoas de outros estados vinham para participar. O segundo deu tanta gente que tivemos que estender para o domingo porque as mesas se esgotaram e as pessoas enlouqueceram para ver as candidatas”, lembrou a organizadora.

O concurso é um evento caro e exige que as participantes invistam. O dinheiro é usado em fantasias cheias de brilho e cores no dia do desfile. Socorro garante que não são apenas as meninas abastadas que participam.

Sthepany, Rainha das Rainhas de 2005, hoje é biomédica

Sthepany, Rainha das Rainhas de 2005, hoje é biomédica

“Tem meninas humildes participando do concurso, sim. No primeiro dia de apresentação delas eu as coloco vestidas do mesmo jeito para que elas não se achem melhores que as outras”, justificou.

Os critérios para a escolha da rainha são: beleza, coreografia, fantasia e a criatividade. E isso as meninas têm de sobra. Um exemplo disso, é a atual vencedora do concurso Nataly Uchôa, de 22 anos. Ela esbanja beleza e simpatia, e diz que sempre sonhou em vencer o concurso. Na primeira vez em que participou tinha apenas 16 anos e foi eleita a princesa do evento.

 

Os frutos vieram logo em seguida. Ela foi modelo em São Paulo durante 2 anos, Miss Amapá em 2013, e representou o Brasil na Colômbia em outro concurso internacional.

Socorro Marinho entre as rainhas: mais um ano de tradição

Socorro Marinho entre as rainhas: mais um ano de tradição

“Por mais que eu tivesse todas essas conquistas sentia que ainda faltava mais uma. Voltei para o Amapá e me preparei para o concurso e fui campeã em 2015. Quando eu fui coroada senti que todo o meu esforço e trabalho não foram em vão. Percebi que consegui transformar aquilo que era um sonho em realidade”, contou a atual Rainha Nataly.

No ano de 2006, não houve a edição do concurso, então a vencedora do ano de 2005 acumulou o titulo. Sthefany Ughy, que hoje é biomédica, dedica a vida à família e ao trabalho. Para ela, o Rainha das Rainhas foi a realização de um sonho e o divisor de águas em sua vida.

Sthepany, Rainha das Rainhas de 2005, hoje é biomédica

Sthepany, Rainha das Rainhas de 2005, hoje é biomédica

“Antes de participar e vencer o concurso eu era uma pessoa muito tímida. Com essa experiência aprendi a falar melhor com as pessoas e expor minhas ideias de maneira mais enfática e segura. Esse concurso me ajudou muito como pessoa”, justificou Sthefany.

O lançamento do concurso será no dia 2 de dezembro, às 20 horas, na Sede do Trem Desportivo Clube. Os desfiles estão marcados para o dia 18 do mesmo mês. Este ano, a expectativa é de que 20 candidatas participem.

Josi Lima foi eleita em 2001

Josi Lima foi eleita em 2001

Sandra Ohana em 1986, como Rainha das Rainhas. Foto: Arquivo/Trem

Sandra Ohana em 1986, como Rainha das Rainhas: 35 anos de tradição Foto: Arquivo/Trem

Compartilhamentos