Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Dois corpos do sexo masculino em avançado estado de composição foram encontrados boiando em diferentes locais do Rio Amazonas na tarde desta quinta-feira, 15.

De acordo com relato de ribeirinhos que encontraram os cadáveres nas Ilhas de Santana e na Ilha de Chagas, tratam-se de “ratos d’água”, nome dado a assaltantes de embarcações.

Segundo PM, há marcas na cabeça dos dois homens que podem ser tiros. Fotos: 1BPM

Segundo PM, há marcas na cabeça dos dois homens que podem ser tiros. Fotos: 1BPM

Uma equipe do Corpo de Bombeiros havia sido acionada, por volta das 16h,  para realizar a remoção de um primeiro corpo, encontrado por moradores nas margens do rio, próximo da Ilha de Santana.

Porém, ao chegar no local, os bombeiros foram informados que havia um segundo corpo boiando na Ilha de Chagas, região do estado do Pará.

Os bombeiros levaram os dois cadáveres até o Porto da Praticagem, em Fazendinha, onde uma equipe da Polícia Técnica (Politec) aguardava.

De acordo com informações do tenente Rosário, do 1º Batalhão da Polícia Militar, que também acompanhou a remoção dos corpos em Fazendinha, algumas marcas na cabeça dos dois homens podem indicar tiro.

“Há sinais que podem ser de violência. Aparentemente, dá para verificar que eles estão com lesão na cabeça, talvez por perfurações de tiro, mas somente a Politec pode dizer do que se trata”, comentou o policial.

cadaveres-encotnrados-no-amazonas-4

Corpos foram encontrados em avançado estado de decomposição

Apesar de nenhum dos cadáveres term sido identificados, há relatos recebidos tanto pela PM, quanto pelos bombeiros de que, na noite anterior, uma voadeira foi encontrada por ribeirinhos a deriva no rio e que ela foi atracada num igarapé.

Os moradores ligaram para o 190 para denunciar que havia cápsulas de munição no interior do barco. Há relatos também de assaltos praticados na região por três ratos d’água.

Os dois corpos foram levados para Macapá para a sede da Politec e o caso será investigado.

Compartilhamentos