Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Em uma carta para o Papai Noel, um menino de 3 anos e com apenas 75% de audição em um dos lados do ouvido, pede uma bicicleta de presente. O motivo: fazer exercícios para fortalecer a musculatura da perna.

A correspondência do garoto foi enviada para a campanha de adoção de cartas dos Correios, que foi prorrogada até o dia 16 de dezembro.

Assim como a carta de Aymon, várias correspondências aguardam por adoção. Fotos: André Silva

Assim como a carta de Aymon Rusivel, várias correspondências aguardam por adoção. Fotos: André Silva

A cartinha foi escrita pela mãe do menino Aymon Rusivel, que não se identifica, e descreve a situação dos dois que moram em um kit net com apenas um cômodo e um banheiro.

O aluguel do local é pago com um benefício que ele recebe do INSS. O dinheiro é usado também para pagar a medicação dele e a alimentação dos dois, já que a mãe é impedida de trabalhar porque não tem com quem deixar a criança.

Mãe conta história de dificuldades com o filho

Mãe conta história de dificuldades com o filho

Rusivel nasceu sem as duas orelhas e ouve com dificuldade em apenas um lado. Além disso, ele nasceu com  síndrome de Goldenhar, também conhecida como displasia-auriculo-vertebral. O garoto também tem paralisia facial congênita e distúrbio neuropsicomotor.

Ele faz tratamento no Instituto Sarah Kubitschek três vezes ao mês, acompanhado da mãe. Na carta, ele pede uma bicicleta e explica o pedido.

“Papai Noel, a bicicleta é para eu movimentar as minhas pernas para elas ficarem fortes porque, sabe Papai Noel, vou estudar no ano que vem”, justificou o menino.

Papai Noel dos Correios

Das inúmeras cartas recebida pelos correios este ano, foram selecionadas pouco mais de 3 mil. Dessas, aproximadamente 2 mil já foram adotadas, porém apenas mil tiveram retorno com presentes.

“Por isso a necessidade de se estender o prazo. Nosso intuito é fazer com que tenha um número maior possível de presentes recebidos. Queremos que os padrinhos tenham tempo de se programar primeiramente, para depois fazer a compra dos presentes”, explicou o diretor regional dos Correios, Erderson Mendes.

Diretor regional dos Correios, Erderson Mendes: prazo para adoção de carta foi prorrogado

Diretor regional dos Correios, Erderson Mendes: prazo para adoção de carta foi prorrogado

Os grandes parceiros da instituição no Amapá, que chegavam a adotar até 100% das cartinhas nos últimos anos, esse ano deram sinal negativo. O motivo? Estão ajudando outras instituições com o mesmo programa.

“A gente percebeu que esse tipo de projeto cresceu no estado. Ficamos tristes por um lado, mas muito felizes pelo fato de terem, a cada ano, outras instituições seguindo o nosso exemplo. Isso é motivo para que a gente entre em 2017 com esperanças de dias melhores”, frisou o diretor.

Para adotar uma das cartas que aguardam presentes de natal, os interessados devem procurar a agência central dos Correios.

Compartilhamentos