Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A esposa do motociclista  que se envolveu em um acidente na noite de 25 de dezembro, na Rua Minas Gerais, no Bairro Nova Esperança, refuta a informação de que o marido estaria bêbado.

Bruna Souza, 26 anos, disse que na noite do acidente o esposo estaria na casa de parentes e não havia ingerido bebida alcoólica.

José Lima de Souza, 31 anos, ainda aguarda na fila do Hospital de Emergência (HE) para realizar um exame de tomografia da cabeça e de uma cirurgia na perna.

“A pancada na cabeça foi tão forte que ele continua não falando coisa com coisa”, disse mulher do motociclista.

Segundo informações do dono do carro envolvido no acidente, José estaria em alta velocidade e na contra mão.  Ele também relatou para a polícia que o mesmo aparentava estar embriagado.

“Com a pancada que ele levou na cabeça, é de se entender que aparente estar bêbado mesmo”, justificou a esposa.

Atendimento lento

Ela também se queixa do atendimento da portaria do hospital e a demora para a realização do exame de tomografia, que indicará o que o choque pode ter provocado.

“Existe uma alto risco dele sofrer alguma sequela”, disse a esposa.

Motociclista ainda não sabe onde será operado

Motociclista ainda não sabe onde será operado

Em relação a cirurgia ortopédica,  a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) disse que o paciente não corre risco de morte, por isso ele entra na fila das cirurgias eletivas. Ele terá que aguardar abrir uma vaga no Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal) para ser transferido e operado.

Quanto a tomografia, a Sesa explicou que os exames não foram suspensos e acontecem normalmente. O que ocorre é que existe uma fila e quem estiver na prioridade será atendido primeiro.

Compartilhamentos