Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O jornalista e presidente do grupo Rede Amazônica, Phelippe Daou, faleceu na tarde desta quarta-feira, 14, aos 87 anos. Ele sofreu um infarto no Hospital Sírio Libanês, na cidade de São Paulo, onde estava internado.

Por coincidência, Phelippe Daou morreu no mesmo ano dos amigos e sócios fundadores do grupo, o jornalista Milton Cordeiro (31 de outubro) e Joaquim Margarido (em 5 outubro).

Em 1968, Phelippe Daou fundou a Amazonas Publicidade, que mais tarde se transformaria na Rede Amazônica de Televisão, empreendimento reconhecido como principal fator de integração da região Amazônica.

Responsável pelo maior empreendimento em comunicação na Amazônia, jornalista e empresário deixa legado. Foto: Rodrigo Sales

Responsável pelo maior empreendimento em comunicação na Amazônia, jornalista e empresário deixa legado. Foto: Rodrigo Sales

A Rede Amazônica chegou no Amapá no dia 1º de janeiro ano de 1975. A última vez em que Phelippe Daou esteve no estado foi em 2014, num evento de comemoração do aniversário da emissora.

O comunicador e empreendedor nasceu em Manaus, capital do Amazonas, no dia 15 de novembro de 1928. Iniciou a carreira sendo repórter do Jornal do Comércio. Um ano depois, foi transferido para a empresa Archer Pinto, proprietária, na época, de “O Jornal e Diário da Tarde”. Foi ainda redator da Rádio Rio Mar.

“Dr. Phelippe foi o maior empreendedor da comunicação na Amazônia. A história do jornalismo de televisão estará pra sempre associada a sua imagem. Foi um exemplo de homem, e um dos maiores exemplos de humildade que já vi, que nunca deixou de nos encorajar a fazer um jornalismo voltado antes de tudo pro homem da Amazônia”, define o gerente de jornalismo da Rede Amazônica no Amapá 

Compartilhamentos