Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

O boletim de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e Aids, divulgado pelo Ministério da Saúde, mostra que o Amapá registrou 232 novos caos de pessoas com HIV em 2015, um dos maiores aumentos nos últimos seis anos. Só em 2016, já foram registrados 145 novos casos, sendo que 89 são homens e 56 mulheres.

De acordo com o boletim, o Amapá possui 1,5 mil pessoas em tratamento por DST’s e Aids. mulheres.

Dados do HIV no Amapá. Fotos: Cássia Lima

Dados do HIV no Amapá. Fotos: Cássia Lima

Na manhã desta quinta-feira, 1, Dia Mundial de Luta Contra a Aids, foi dada  a largada para a campanha denominada “Dezembro Vermelho”, que busca durante todo o mês reforçar a luta contra a doença e prevenir novos casos.

“Hoje é a abertura desse mês de luta. A ideia é reforçar esse combate, se solidarizar por aqueles que vivem com o HIV e a Aids, e ao mesmo tempo reforçar a prevenção por meio do preservativo. Nosso objetivo é mobilizar a população para o teste rápido e quebrar essa cadeia de transmissão”, explicou Coordenadora do Programa de Infecções e Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids no Amapá, Aline Miranda.

Aline Miranda, coordenadora do Programa de Infecções e Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids no Amapá:

Aline Miranda, coordenadora do Programa de Infecções e Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids no Amapá: quebrar cadeia de transmissão do vírus

A meta, que vem da campanha nacional, é que 90% da população faça o teste rápido de DST e Aids e todos saibam da sua condição sorológica. Para a coordenadora, o número oficial de portadores da doença é apenas uma pequena ponta de um grande iceberg.

“Tem muitas pessoas que não sabem que são infectadas continuam com o ciclo de infecção. Pedimos que as pessoas façam o teste e se conheçam. Muitas DST’s são séries e exigem cuidados. Quanto mais cedo é descoberta, maiores as chances de cura”, frisou a coordenadora.

Início da campanha "Dezembro Vermelho"

Início da campanha “Dezembro Vermelho”

Teste rápido

O teste rápido para doenças sexualmente transmissíveis e a  Aids são ofertados em todos as Unidades Básicas de Saúde do Estado de forma gratuita e o resultado sai em meia hora.

Os testes rápidos são realizados a partir da coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo. O sangue é colocado em dois dispositivos de testagem e para chegar ao resultado, o profissional que realiza o teste segue um fluxo determinado cientificamente.  O resultado sigiloso é dado apenas para a pessoa que fez o exame.

Compartilhamentos