Compartilhamentos

SELES NAFES

Pela primeira vez em 25 anos de judiciário amapaense, uma mulher passa a dirigir a Associação dos Magistrados do Amapá (Amaap). A juíza Elaine Cantuária tomou posse como presidente da entidade criticando o projeto de lei que prevê a responsabilização criminal de magistrados, procuradores e promotores durante o curso de processos e inquéritos.

É a chamada “Lei do Abuso de Autoridade”, que continua em discussão em Brasília. 

“Estão querendo criminalizar nossas funções. Vivemos um momento muito difícil para a categoria. Todos que acompanham o Congresso sabem o que está acontecendo. A união é a nossa grande promessa na associação”, disse a juíza após tomar posse.

Elaine Cantuária assume lugar do juiz Paulo Madeira. Fotos: Amilton Matsunaga

Elaine Cantuária assume lugar do juiz Paulo Madeira. Fotos: Amilton Matsunaga

Juiz Paulo Madeira pequeno troféu simbolizando a troca de comando

Observado pela nova diretoria, juiz Paulo Madeira passa pequeno troféu simbolizando a troca de comando na Amaap

A cerimônia de troca de comando na Amaap foi informal. Um jantar foi oferecido a amigos, colaboradores e juízes na sede social da Associação dos Magistrados, no Bairro do Zerão, Zona Sul de Macapá, no fim da noite de sexta-feira, 2. O jantar foi seguido de um baile.

Elaine Cantuária é amapaense e atua na 2ª Vara de Família de Macapá. Ela assume a presidência no lugar do juiz Paulo Madeira, atual titular da 6ª Vara Cível e de Fazenda Pública da capital.

“É uma nova direção que irá caminhar para unificar e fortalecer a magistratura. Não guardo nenhuma mágoa, apesar de ser difícil presidir uma entidade como a nossa”, avaliou.

Durante o evento, foram empossados também os novos membros da diretoria. 

Cerimonial informal na sede social da associação marcou a posse

Nova presidente da Amaap, Elaine Cantuária: estão querendo criminalizar nossas funções

amaap-6

A dança dos juízes: posse foi marcada pela informalidade

Compartilhamentos