Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Ao sair de um comércio 24 horas, Hugo Brandão da Paixão, 19 anos, encostou sem querer no retrovisor de um táxi. O incidente foi suficiente para que o rapaz fosse assassinado com uma facada no peito, durante o início da manhã deste domingo, 18, no Jardim Felicidade 1.

Jovem foi assassinado por motivo banal. Encostou no retrovisor de um carro. Fotos: Olho de Boto

Jovem foi assassinado por motivo banal. Encostou no retrovisor de um carro. Fotos: Olho de Boto

A vítima, que era lavador de carros, retornava de uma festa na Rodovia do Curiaú, junto com seu primo e outra jovem, quando se envolveu em uma discussão que logo virou agressão física entre ele, o taxista e mais três indivíduos na frente do estabelecimento, localizado na Rua Paula Ramos da Fonseca.

Não se sabe se foi o taxista ou um dos três passageiros quem desferiu a facada que tirou a vida do rapaz. O desentendimento teria iniciado depois que Hugo passou próximo do veículo e o motorista atirou uma latinha contra ele.

Câmeras de segurança do estabelecimento comercial onde ocorreu inicio das agressões ajudará a identificar criminosos

Câmeras de segurança do estabelecimento comercial onde ocorreu inicio das agressões ajudará a identificar criminosos

Ao tentar fugir dos agressores após levar o golpe com arma branca, Hugo correu até a frente de uma residência próxima do comércio e caiu desacordado.

De acordo com pessoas que presenciaram os episódios de agressão, os envolvidos estavam sob efeito de álcool.

Envolvidos no homicídio estavam sob efeito de álcool, segundo testemunhas

Envolvidos no homicídio estavam sob efeito de álcool, segundo testemunhas

Segundo o tenente G. Luiz, do 2º Batalhão da Polícia Militar, apesar de nenhum dos criminosos terem sido ainda identificados, o local possui várias câmeras de segurança, o que facilitará a investigação da Delegacia de Homicídios, que tratará do caso.

“As câmeras darão apoio na investigação da Polícia Civil. Mas o que sabemos é que o taxista está envolvido, mas ainda não está claro quem desferiu a facada”, comentou o policial.

O modelo do carro também ainda não foi identificado, sabe-se apenas que era de cor prata. Já há também, de acordo com o tenente, um primeiro suspeito, mas que não pode ser divulgada sua identidade.

Rapaz era lavador de carros

Rapaz era lavador de carros

“A gente encerra a festa no horário correto, mas infelizmente nesse 24 horas as pessoas continuam bebendo. Como não há fiscalização, a situação fica sem controle. Com certeza foi o álcool que causou toda essa situação tragédia”, lamentou o tenente G. Luiz.

Compartilhamentos