Compartilhe

SELES NAFES

Fiscais do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-AP) interditaram no início da tarde desta sexta-feira, 6, a principal agência do Bradesco na capital, Macapá. Tempo de espera acima do tolerado pela legislação e falta de atendimento prioritário foram as irregularidades encontradas.

A fiscalização começou por volta do meio dia em agências do Itaú e Santander, onde não foram registradas infrações. Contudo, no Bradesco, onde funciona também o escritório central do banco em Macapá, os fiscais lacraram a porta com um aviso de interdito por 24 horas.

Bradesco na hora do almoço: desconforto e demora. Foto: Divulgação

Bradesco na hora do almoço: desconforto e demora. Foto: Divulgação

A agência fica na Rua Cândido Mendes com a Avenida Padre Júlio Maria Lombaerd, no Centro Comercial. Foram dois autos de infração baseados na lei municipal 1.795/2010. Os fiscais não encontraram tratamento diferenciado para lactantes e mães com bebês de colo, e o tempo de espera estava acima de 35 minutos, o máximo permitido por lei.

“Essa agência cometeu duas infrações no mesmo dia, o que configura situação de interdição”, relatou a chefe de Fiscalização do Procon, Lana Silva.

Aviso de interdito por 24 horas: fechado ao público

Aviso de interdito por 24 horas: fechado ao público

O Bradesco é reincidente. Em agosto do ano passado, já tinha apresentado os mesmos problemas e havia sido multado. Desta vez, a agência ficará fechada por 24h, ou seja, só reabrirá na próxima segunda-feira, 9.

O banco terá 10 dias para apresentar defesa ao Procon, e poderá ser multado mais uma vez. Lana Silva não soube informar o valor da multa aplicada em 2016.

O Procon do Amapá iniciou 2017 com uma maratona de fiscalizações nas agências bancárias de Macapá e Santana. O objetivo é verificar se os bancos estão cumprindo o Código de Defesa do Consumidor no que diz respeito ao tempo de espera, atendimento prioritário, assentos especiais, acessibilidade, e outras obrigações.  

Compartilhe