Analista ambiental é agredido durante fiscalização

Agente foi agredido quando abordou dois homens com gaiolas de pássaros
Compartilhamentos

De Oiapoque, HUMBERTO BAÍA

Um analista ambiental do Instituto Chico Mendes (ICMBio) foi agredido durante uma fiscalização no município de Oiapoque, a 590 quilômetros de Macapá, na fronteira com a Guiana Francesa. 

Ricardo Mota Pires, de 61 anos, atua como analista há mais de 10 anos em Oiapoque. Na última quarta feira, 25,  quando fazia uma abordagem de rotina a dois homens que estavam com gaiolas, em um ramal no Bairro do Russo, um dos suspeitos reagiu violentamente contra o analista agredindo-o com um capacete de motociclista.

Depois da agressão, os homens fugiram do local deixando a vítima desacordada. Eles também levaram as chaves do carro do analista.

Espécie é vendida na Guiana Francesa por R$ 16 mil

Espécie é vendida na Guiana Francesa por R$ 16 mil

Um inquérito foi aberto pela Polícia Federal de Oiapoque. Os dois homens estão sendo procurados e existe a suspeita de que sejam 2 vigilantes.

“Este tipo de crime ambiental é comum em Oiapoque. Poucas pessoas possuem a autorização para criar pássaros, e quando fazemos esse tipo de apreensão soltamos os animais imediatamente na natureza”, explica o analista.

Na semana passada, Ricardo Pires foi uns dos poucos em Macapá que tiveram a oportunidade de subir à bordo do Esperanza, embarcação do grupo ativista Greenpeace.

Em Oiapoque, para regularizar a criação de pássaros, é necessário procurar a Secretaria de Meio Ambiente do Amapá (Sema). O animal receberá um anel que identifica sua procedência.

Uma das espécies mais colecionáveis na Guiana Francesa, o curió (oryzoborus angolensis) é conhecido como piclé, e tem um alto valor de mercado, podendo atingir até 5 mil euros o equivalente a R$ 16,8 mil.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.