Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Três homens suspeitos de assalto foram mortos numa troca de tiros no fim da noite desta sexta-feira, 20, com policiais da COE (companhia especializada que pertence ao Bope) na comunidade de Ariri, KM-33 da BR-210, zona rural de Macapá. Eles estavam sendo procurados desde um assalto ocorrido na última quinta-feira, 19.

O roubo ocorreu na própria comunidade. Um dos moradores conseguiu fugir pulando uma janela quando percebeu a invasão dos criminosos na casa. Eles renderam os moradores que ficaram e roubaram vários objetos da residência, incluindo uma espingarda calibre 20.

O morador que fugiu conseguiu telefonar para o 190 (Ciodes) e o Bope foi acionado. O batalhão enviou uma equipe da Rotam ao local, mas depois de várias diligências os criminosos não foram encontrados.

“Os moradores ficaram com o número do nosso batalhão para nos avisar sobre qualquer alteração.  Nesta sexta, os moradores que estavam em pânico. Os três estavam rondando a região armados, e já havia relato de outros moradores que um deles estava usando uma arma longa, a calibre 20”, comentou o tenente-coronel Paulo Mathias, comandante do Bope.

Revólveres 38 apreendidos com munições deflagradas. Fotos: Olho de Boto

Revólveres 38 apreendidos com munições deflagradas. Fotos: Olho de Boto

Duas equipes da COE foram enviadas para o Ariri, e com a orientação dos moradores conseguiram localizar os criminosos. Houve confronto.

“Por volta das 23h, eles foram localizados e houve uma troca de tiros. O que estava com calibre 20 atirou na direção dos policiais e foi o primeiro a ser alvejado. A outra equipe continuou na busca dos outros que também atiraram e foram alvejados”, acrescentou o comandante.

Os três foram levados para o Hospital de Emergência de Macapá, onde já chegaram mortos. Nenhum deles havia sido identificado até a manhã deste sábado.

Ferras usadas para arrombamento e corte de energia elétrica

Ferramentas usadas para arrombamento e corte de energia elétrica

Foram apreendidas ferramentas que o Bope diz serem bastante usadas em arrombamentos e no corte de fios elétricos, além de 2 revólveres calibre 38 com munições deflagradas e a espingarda calibre 20, além de objetos furtados de outras residências. 

“Eles cortavam a energia elétrica das residências para fazer os furtos. Um deles foi de uma voadeira de R$ 30 mil que até hoje não foi localizada”, relatou o tenente-coronel Mathias.

“Eram bandidos andarilhos. Tinham mochilas e lanternas para andar dentro das matas fazendo os furtos. Há várias residências que ficam fechadas durante a semana no Ariri, e só são usadas no fim de semana. Quando os proprietários chegam encontram as residências arrombadas”, concluiu. 

Os três foram levados para o HE, mas não resistiram aos ferimentos

Os três foram levados para o HE, mas não resistiram aos ferimentos

 

Compartilhamentos