Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) anunciou cerca de 300 vagas para o concurso público da instituição que será realizado ainda este ano. A meta é que o edital seja publicado até o mês de julho e as provas sejam realizadas no segundo semestre. No total, 60 vagas já estão confirmadas para a Polícia Legislativa.

 O anúncio do concurso foi realizado na manhã desta quinta-feira, 19, durante coletiva de imprensa na Alap. A Comissão Técnica do Concurso é composta por deputados e servidores da Alap, e presidida pelo deputado Paulo Lemos (Psol).

“Hoje a Assembleia vive uma inversão porque o Tribunal de Justiça, por exemplo, tem 90% de cargos efetivos e 10% de comissionados, já na Alap são 90% comissionados e 10% efetivos. Precisamos mudar essa discrepância enorme”, frisou o deputado Lemos, referindo-se aos 1,1 mil comissionados e apenas 117 efetivos.

Deputado Paulo Lemos é o presidente Comissão. Fotos: Cássia Lima

Deputado Paulo Lemos é o presidente Comissão. Fotos: Cássia Lima

Durante a coletiva, a comissão informou apenas os possíveis prazos e não esclareceu o número exato de vagas para cada área. As únicas definições são 60 vagas da Polícia Legislativa e 5 vagas para contadores. Ainda haverá vagas para assessor parlamentar e jurídico, além de analistas e técnicos.

“Já confirmamos para a Polícia Legislativa que terá uma descrição específica no edital, já que os policiais deverão portar armas”, explicou o deputado.

Atualmente, a Assembleia tem uma folha de pagamento de R$ 11 milhões mensais, isso para cargos comissionados e efetivos. A proposta da comissão, independentemente dos problemas políticos da Casa e a insegurança que gira em torno da presidência, todo o processo seja finalizado esse ano.

“Mesmo com essa incerteza de quem é ou será presidente da Casa, nossa meta é lançar o edital, marcar a prova e homologar tudo, se possível até chamar os aprovados. Não podemos deixar nada para 2018 por ser um ano eleitoral”, pontuou o presidente.

Assembleia tem 1,1 mil comissionados (oficialmente), e apenas 117 efetivos

Assembleia tem 1,1 mil comissionados (oficialmente) e apenas 117 efetivos

A comissão presidida pelo deputado Paulo Lemos (PSOL) terá como membros os servidores Antônio Aparecido da Silva, Keka Cantuária (ex-deputado), Gracilene Dias de Sá Feio e Mauro Henrique Brabo Alves.

O prazo para a conclusão dos trabalhos é de 120 dias, podendo ser prorrogado por mais 60 dias, de acordo com o regimento interno da Alap. Este será o segundo concurso público da Assembleia. O primeiro foi realizado há 25 anos durante a instalação do Amapá como Estado.

Compartilhamentos