Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Rede Amazônica no Amapá divulgou nesta segunda-feira, 16, reportagem que mostra a história de um homem que era semianalfabeto e não tinha carteira de habilitação. Mesmo assim, teve o nome usado na compra de quatro veículos novos durante o período em que era funcionário do deputado estadual Kaká Barbosa (PT do B).

De acordo com reportagem da emissora, exibida no jornal APTV, Francisco Assis Vasconcelos morreu em 2009, quando recebia apenas R$ 800 como salário do deputado.

A família contou à reportagem que os bens foram descobertos na ação judicial pela indenização trabalhista, calculada em R$ 93 mil pelos 20 anos em que Francisco Vasconcelos trabalhou para o deputado. 

“Sei que tem esses veículos nome dele e que era sócio de uma empresa”, disse uma irmã ao repórter Wedson Castro, da TV Amapá.

Irmã

Irmã disse que família foi enganada para desistir da ação trabalhista. Foto: Reprodução/Rede Amazônica

As irmãs do vigilante disseram que foram enganadas ao assinar um documento que terminou com o arquivamento do processo por assinalar a desistência da ação por parte da família.

Francisco Vasconcelos morreu em 2009 por complicações do diabetes. Pouco tempo depois, o nome dele foi usado novamente na compra do quarto veículo. Em todas as aquisições, os endereços informados às concessionárias eram lugares diferentes, e em nenhum deles a família afirma que o ex-funcionário tenha morado.

Em 2010, um dos carros foi transferido com assinatura de outra pessoa. Todas as informações levantadas até agora foram conseguidas informalmente pela família. O Portal SELESNAFES.COM não conseguiu contato com a defesa do deputado, que no domingo, 15, teve a posse como presidente da Assembleia Legislativa suspensa por determinação da Justiça. 

Compartilhamentos