Compartilhamentos

De Santana, FERNANDO SANTOS

Na tarde desta sexta-feira, 6, o governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), esteve em Santana, distante a 17 km de Macapá, para a assinatura de termo aditivo que renova o convênio de R$ 6 milhões para limpeza urbana do município. A cerimônia ocorreu na Câmara Municipal.

“A coleta de lixo é uma responsabilidade municipal. Mas, no final de 2015, eu percebi claramente um apelo da sociedade santanense em relação às dificuldades do município de Santana de dar conta dessa política. Eu me ofereci ao prefeito na época, e fiz um convênio de 12 meses que cumpri integralmente. E agora, com Ofirney, estamos renovando o convênio semelhante para que Santana siga tranquilamente”, disse o governador Waldez Góes.

GEA vai arcar com a maior parte do custo de limpeza da cidade. Fotos: Fernando Santos

GEA vai arcar com a maior parte do custo de limpeza da cidade. Fotos: Fernando Santos

Com o convênio, governo passar a arcar com a maior parte das despesas da limpeza da cidade, como capina de ruas e coleta regular de lixo domiciliar. Em média, Santana produz 1 tonelada de lixo por dia. A destinação dos resíduos sólidos que continuará sendo feita na Lixeira Pública de Santana, também é contemplada no convênio. A contrapartida da prefeitura é de R$ 1,8 milhão.

O prefeito Ofirney Sadala (PSDC) anunciou que vai procurar, nos próximos dias, a empresa que faz o tratamento do lixo de Macapá para reativar um convênio firmado anteriormente com a cidade de Santana.

José Pantaleão....

José Pantaleão….

...e a árvore natalina de lixo que virou símbolo da crise na coleta em 2015

…e a árvore natalina de lixo feita por ele que virou símbolo da crise na coleta, em 2015. Foto: Arquivo pessoal

“Limpeza é questão de saúde pública. Tem uma contrapartida de mais de R$ 100 mil ao mês da prefeitura e R$ 500 mil vão sair do governo do Estado para que a gente consiga manter a coleta de lixo de Santana. O caso da lixeira, vamos procurar a empresa em Macapá pra tentar reafirmar o convênio que foi extinto”, garantiu o prefeito, Ofirney Sadala.

Atraso na coleta de lixo

No fim de 2015 e início de 2016, o município passou por uma grave crise na coleta de lixo. Alguns moradores, como forma de protesto, chegaram a montar “árvores de Natal” com sacolas cheias de lixo domiciliar.

“Em meses passados, já tivemos muitos dias de atraso na coleta. É muito importante manter a coleta do lixo em dia”, comentou José Pantaleão, um dos pioneiros moradores de Santana.

Compartilhamentos