Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O Hospital de Emergência (HE) realizou quase mil atendimentos no período de fim de ano. O setor de clínica médica foi o mais solicitado e o de trauma ficou em segundo. Os dados são da segunda quinzena de dezembro de 2016.

O HE é referência em atendimento de alta complexidade em urgência e emergência em Macapá. O hospital é o único pronto-socorro público do município e a maioria dos atendimentos que envolvem pacientes graves desembocam lá. Atende inclusive pacientes vindos de localidades do Pará.

Nesse período foram realizados 980 atendimentos. Os procedimentos por quedas, ferimento por arma branca, febre e dor de cabeça corresponderam as maiores demandas. O período em que os dados foram levantados compreende do dia 15 até 31 de dezembro.

entrava no hospital para beber água e usar o banheiro

Lesões por acidentes e armas lideraram

Na clínica médica que envolve atendimento de adultos em diversas especialidades, foram realizados 649 atendimentos, seguido de trauma que realizou 331. Este setor é o que passa por mais dificuldades e constantemente é alvo de denúncias. Os números são considerados normais pelo diretor da unidade, Eduardo Monteiro.

“No dia 23 de dezembro, deram entrada na clínica médica 165 pacientes. No dia 25 do mesmo mês deram entrada 175 pacientes. São números dentro das nossas expectativas”, pontuou o diretor.

 Ele ressaltou que a maioria dos casos poderiam ter sido resolvidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos bairros, o que poderia ajudar a desafogar a demanda. Uma das unidades que poderiam ajudar em alguns casos considerados graves, podem ser atendidos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localizada no Bairro Novo Horizonte, Zona Norte de Macapá.

Compartilhamentos