Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O proprietário de uma lavagem de carros tomou a infeliz decisão de dar um passeio num dos veículos que havia sido entregue a ele para ser lavado. Não deu outra. Ele e mais três amigos capotaram com o carro na tarde deste domingo, 8. Resultado: perda total do veículo, pessoas feridas e um inquérito policial.

O acidente ocorreu por volta das 13h30min, na Rodovia Salvador Diniz (prolongamento da Rodovia JK) próximo do Pesque Pague da Fazendinha, a 9 quilômetros do centro de Macapá. De acordo com a Polícia Militar, Walace Rodrigues Belo, de 21 anos, era o condutor do carro. No momento do acidente, ele estava acompanhado de um amigo e duas mulheres.

Uma das laterais do veículo chegou a ficar submersa

Uma das laterais do veículo chegou a ficar submersa. Fotos: Olho de Boto

Em uma das curvas ele perdeu o controle do HB20 branco e capotou para fora da pista. Uma das laterais do veículo chegou a ficar submersa na água. Por muito pouco o acidente não foi mais grave, já que o carro passou entre um poste e uma árvore.

O motorista e outro passageiro conseguiram sair logo, mas outros dois ficaram presos e precisaram ser resgatados por uma equipe do Corpo de Bombeiros com equipamentos de desencarceramento.

Os passageiros foram levados para o Hospital de Emergência de Macapá em ambulâncias do Samu e do Corpo de Bombeiros.

Um dos passageiros é atendido pelo Corpo de Bombeiros após resgaste

Um dos passageiros é atendido pelo Corpo de Bombeiros após resgaste

“As duas vítimas que estavam fora do veículo estavam estáveis. Mas as duas que estavam dentro do veículo estavam com dores”, relatou a capitã Denise, do Corpo de Bombeiros.

O Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) informou que o carro estava sendo dirigido pelo proprietário da lavagem sem permissão da dona do veículo.

 “A proprietária relatou que alguém na lavagem pegou o carro sem o consentimento dela e estava rodando.  Então veio a acontecer isso”, confirmou o sargento Hirlon.

Proprietária do veículo observa o carro destruído: já era de confiança

Proprietária do veículo observa o carro destruído: já era de confiança

A proprietária do carro disse que Walace Belo já era considerado uma pessoa de confiança, e que sempre buscava o carro dela nas tardes de domingo para fazer a lavagem.

“A gente acreditava nele. Meu cunhado passou aqui e viu o lavador sendo atendido. Quando nós chegamos ele estava querendo fugir num táxi, mas nós seguramos ele”, disse ainda indignada.

OUÇA o desabafo da proprietária

Depois do atendimento, Walace Belo foi autuado no Ciosp do Pacoval pelos crimes de lesão corporal, dirigir sem permissão e sem habilitação.

Compartilhamentos