Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Os alunos, pais e professores das escolas estaduais que receberão a gestão militar compartilhada a partir deste ano participaram de um evento de apresentação do modelo de ensino na manhã desta quinta-feira, 19, no auditório do Sebrae.

O encontro contou também com a presença de técnicos da Secretaria de Estado da Educação (Seed), representantes dos movimentos estudantis, militares e sociedade civil, que fizeram a apresentação do novo sistema.

A partir deste ano letivo, a escola Antônio Messias, no Bairro do Zerão, zona sul de Macapá, terá a gestão compartilhada com a Polícia Militar. Já a escola Risalva Freitas do Amaral, no Bairro Pantanal, zona norte, terá a participação do Corpo de Bombeiros na administração da unidade.

“O trabalho vai continuar seguindo a base nacional de ensino, mas com ações pedagógicas militares, como abordando assuntos de ética, cidadania, respeito ao próximo, entre outros. Um trabalho que também faz parte da escola”, explicou a coordenadora do Centro de Educação Básica e Profissionalizante da Seed, Dina Melo.

Escola Antônio Messias será administrada pela gestão compartilhada

Escola Antônio Messias será administrada pela gestão compartilhada entre PM e Seed. Foto: arquivo/SELESNAFES

Antônio Messias (Zerão)

De acordo com a PM, a gestão se dará por meio da inclusão de projetos dentro da escola, como os já conhecidos Peixinhos Voadores, Cidadão Mirim e Proerd. Cerca de 30 profissionais da Polícia Militar atuarão na escola.

“Vamos trabalhar também a questão de cidadania e valores dos alunos, a convivência, seguindo o modelo de ensino militar, que visa trabalhar os objetivos de aprendizado escolar, preparar os jovens para o mercado de trabalho e os exames nacionais da base curricular”, destaca a capitã Sara Sousa, representante da PM na comissão de implantação.

Risalva Freitas do Amaral (Pantanal)

A escola foi escolhida por obedecer critérios de localização, maior abrangência (atende alunos de 14 bairros, em média), possuir ampla estrutura física e estar inserida em uma área de vulnerabilidade social.

Os alunos farão parte de projetos sociais já desenvolvidos pela instituição. Haverá também apoio de monitores que contribuirão para a organização do ambiente e disciplina no espaço escolar.

“Vamos focar nas metas que colocamos no nosso plano de trabalho, como melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica [Ideb] da escola, implementar também os conteúdos que já estão na matriz curricular como temas abordando cidadania, defesa civil, educação ambiental e disciplina”, disse a tenente Grayce Pantoja, que será diretora na escola.

Foto destaque: Patrick Tavares (Secom)

Compartilhamentos