Compartilhamentos

GRAZIELA MIRANDA

O ministro da Saúde Ricardo Barros ao Amapá anunciou nesta sexta-feira (13) a liberação de R$ 48,3 milhões do Governo Federal para o estado do Amapá durante o ano de 2017. O recurso é oriundo de emendas parlamentares. O anúncio aconteceu no Sebrae Amapá durante a visita do ministro no estado.

De acordo com Ricardo Barros, o recurso será repassado para os municípios de Macapá, Santana, Laranjal do Jari, Vitória do Jari, Calçoene, Amapá, Cutias, Porto Grande, Ferreira Gomes, Itaubal, Mazagão, Oiapoque, Pracuúba e Tartarugalzinho.

Ricardo Barros visitou unidades de saúde do estado e foi até a obra do Hospital Metropolitano. Fotos: Graziela Miranda

Ricardo Barros visitou unidades de saúde do estado e foi até a obra do Hospital Metropolitano. Fotos: Graziela Miranda

“Este valor será utilizado para a realização de obras, aquisição de equipamentos e materiais permanentes, além de financiamento serviços de atenção básica e de média e alta complexidade nos municípios”, afirmou o ministro.

Durante a vinda ao Amapá, Ricardo Barros visitou a obra paralisada do Hospital Metropolitano, que iniciou há dez anos e não foi concluída. Na visita, o prefeito de Macapá, Clécio Luís, explicou ao ministro que não tem condições de assumir o custeio do hospital.

“Nós temos três opções, que falei claramente ao ministro: fazer em parceria com o governo do estado para que ele possa assumir o custeio do hospital ou terceirizar para a iniciativa privada ou parar tudo, devolver o dinheiro e começar a obra do zero em outro lugar porque aquele prédio é uma obra realmente broncada”, afirmou o prefeito.

Por conta disso, o ministro propôs uma reunião entre a bancada federal, Governo do Estado e Prefeitura de Macapá com o intuito de decidir quem vai operar o hospital quando ficar pronto.

Ricardo Barros anunciou investimentos no sistema de saúde do AP

Ricardo Barros anunciou investimentos no sistema de saúde do AP

“Havendo solução de quem vai operar, nós vamos poder viabilizar os recursos para concluir. Temos R$ 7 milhões na conta para a continuidade da obra”, declarou o ministro.

Diante da situação, o secretário de saúde Gastão Calandrini disse que será verificada se haverá a parceria entre Governo e Prefeitura para manter o hospital.

“Hoje a dificuldade da Secretaria de Saúde do Estado é grande. O nosso orçamento está deficitário com o que temos hoje para manter. Então se fosse hoje, realmente, não teríamos condições de assumir agora. Quem sabe daqui a dois anos, quando a obra concluir, poderá ser feito um levantamento e a viabilidade disso”, disse Clandrini.

????????????????????????????????????

Senador Davi Alcolumbre, articulador da visita do ministro Ricardo Barros: Governo e prefeitura devem chegar a um entendimento sobre administração do hospital

O senador do Amapá Davi Alcolumbre (DEM), que articulou a vinda do ministro ao estado, afirma estar otimista com o caso.

“Primeiro tem que resolver a questão da burocracia de quem vai gerir o hospital. Então nesse sentido tem que haver um acordo entre a prefeitura e o governo. Mas estou muito otimista”, afirmou.

O ministro também visitou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Sul, localizada no Bairro Zerão, que está 95% concluída, e o Centro Especializado em Reabilitação, localizado no Bairro Açaí, que está aproximadamente 60% concluída.

ministro 1

Ministro anunciou R$ 48,3 milhões do Governo Federal em investimentos para 14 municípios

Sobre a UPA Zona Sul, o ministro anunciou que após a conclusão da obra, poderá solicitar ao Ministério da Saúde o custeio dos procedimentos realizados pela Unidade, totalizando R$ 100 mil por mês e R$ 1,2 milhões por ano. Sobre o Centro Especializado, Barros anunciou a liberação de R$ 3,7 milhões para concluir a obra.

Durante a visita do ministro às estruturas, estiveram presentes o senador Davi Alcolumbre, o prefeito de Macapá Clécio Luís, o governador em exercício Papaléo Paes, os deputados estaduais Pedro da Lua, Dr. Furlan, Roseli Matos, os deputados federais, André Abdon, Vinícius Gurgel e Josi Araújo, além de secretários da rede municipal e estadual. Após as visitas, eles se reuniram com prefeitos e gestores de saúde no Sebrae.  

Compartilhamentos