Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um ex-detento foi morto a tiros no fim da noite desta terça-feira, 24, em uma área de pontes do Bairro dos Congós, zona sul de Macapá. De acordo com testemunhas, segundos antes de morrer, ele chegou a falar no celular de outra pessoa com o suposto mandante do crime.

O homicídio ocorreu na área alagada da 11ª Avenida dos Congós. Moradores disseram que Maycon Nascimento, de 33 anos, conhecido como “Maycon Basquete”, foi abordado pelo assassino informando que alguém no celular queria falar com ele.

A vítima pegou o telefone das mãos do criminoso e atendeu ao telefonema. Ao fim da conversa, ele devolveu o aparelho e virou de costas para o bandido, seguindo no rumo de casa.

Vítima foi morta pelas costas depois de falar com alguém ao telefone. Fotos: Olho de Boto

Vítima foi morta pelas costas depois de falar com alguém ao telefone. Fotos: Olho de Boto

Foi quando o criminoso sacou a arma e disparou várias vezes contra a vítima, que foi atingida pelo menos 4 vezes. Ele caiu dentro do lago, e depois foi retirado por moradores.

Quando o socorro médico chegou ao local, ele já estava em óbito.

O criminoso, aparentemente menor de idade, saiu correndo com a arma na mão e teria fugido em uma motocicleta que já o aguardava na cabeceira da ponte.

Parentes informaram que Maycon Basquete havia saído do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) havia menos de sete meses, onde cumpriu pena de 12 anos de prisão por homicídio.

Antes de ir para o Iapen, Maycon Basquete andava com criminosos como Alexandre Pessoa Rocha, o “Bambolê”, famoso assaltante morto pela PM há quase 10 anos. 

Polícia Técnica remove corpo da vítima, que havia passado no Enem para cursar Direito

Polícia Técnica remove corpo da vítima, que havia passado no Enem para cursar Direito

Mas, depois de sair da prisão, ele estava procurando mudar de vida. Estava casado e trabalhava como serviços gerais na prefeitura de Macapá. Também tinha tirado boa nota no Enem para cursar Direito, e estava fazendo um curso profissionalizante de enfermagem.

A ocorrência foi atendida pelo 1º Batalhão da Polícia Militar, mas ninguém quis falar sobre o assunto. O assassino, que aparentava ser menor de idade, ainda não foi encontrado. 

Compartilhamentos