Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Foram necessárias cerca de três horas de negociação, sob a mira de um revólver calibre 38, para que uma família no Bairro Jardim Marco Zero pudesse respirar aliviada, após ter tido sua casa invadida por uma dupla de bandidos na noite desta sexta-feira, 27.

Durante o processo de negociação com o Batalhão de Operações Especiais (Bope), um fato inusitado. Um dos infratores chegou a realizar uma transmissão ao vivo pelo Facebook. Eles exigiam coletes à prova de balas e a presença da imprensa para garantir sua integridade física.

A madrugada de terror que viveu a família começou quando parentes dos donos da casa chegaram na residência, localizada na avenida Stephan Houat, por volta de 23h30min. Eles foram surpreendidos pelos dois bandidos que os abordaram e anunciaram o assalto.

Um dos moradores conseguiu fugir e avisou a polícia. Fotos: Olho de Boto

Um dos moradores conseguiu fugir e avisou a polícia. Fotos: Olho de Boto

 

Um dos moradores conseguiu fugir e avisar a PM

Negociador conversa com um dos bandidos

Rômulo Crelen da Silva Campos, de 22 anos, que usava a arma, e um menor de 17 anos,ameaçavam as vítimas a todo o momento chegando a agredir o proprietário da casa com várias coronhadas na cabeça, o que provocou um ferimento com muito sangramento.

Umas das vítimas consegue fugir

Em meio a situação de desespero, um dos filhos do dono da casa conseguiu sair pelo lado externo da lateral da casa e entrar numa área onde deu acesso ao telhado. De lá, ele fez uma ligação para o 190 e correu para a rua.

Uma viatura do 1º Batalhão da Polícia Militar (1ºBPM) que estava nas proximidades fez o primeiro atendimento e localizou a casa. Foi então acionada uma operação conjunta entre o Bope, BPTran e Corpo de Bombeiros para atender a ocorrência. Com a chegada das equipes, a área foi isolada e começaram as negociações.

Bandido faz transmissão com refém no jardim marco zero (8)

Reféns são liberados pelos bandidos sob a mira de armas

Tempo de 3 horas foi necessário, diz o Bope

Tempo de 3 horas foi necessário, diz o Bope

“Graças a Deus, todo o processo saiu dentro da normalidade, e posteriormente, depois de uma hora e meia, os bandidos se entregaram e os reféns foram liberados”, disse o tenente-coronel Paulo Mathias, comandante do Bope.

Segundo informações da polícia, um dos infratores aparentava estar sob o efeito de drogas.

“Geralmente, quando eles passam para ações dessa natureza, já usaram substância entorpecente ou bebidas alcoólicas. Isso dificulta um pouco porque os ânimos estão um pouco mais exaltados. Essa demora de três horas é o tempo que dá para eles se acalmarem e nos dá mais chance de êxito na negociação”, explicou o coronel.

Pelo Facebook, bandido avisa que "perdeu"

Pelo Facebook, bandido avisa que “perdeu”

Os reféns foram sendo libertados gradativamente. Primeiro os três menores, e por último saíram o proprietário e sua esposa. Todos foram atendidos pela viatura do Corpo de Bombeiros que estava no local e passam bem. A polícia disse ainda acreditar que os bandidos tinham informações privilegiadas sobre a casa.

“Eles sabiam o que queriam nessa residência”, concluiu o coronel Matias.

O infrator menor de idade foi apresentado na Deiai, enquanto Rômulo Crelen da Silva Campos foi encaminhado para o o Ciosp do Pacoval, juntamente com a arma de fogo, dinheiro, joias e demais objetos roubados das vítimas.

Momento da transmissão ao vivo

Momento da transmissão ao vivo mostra menor com vítima

Segundo assalto com refém em 2017

De acordo com informações da Polícia Militar, esse é o segundo assalto com refém em 2017. Em 2016, foram 12 assaltos com reféns. Em todos, o Bope teve êxito e nenhuma das vítimas foi gravemente ferida. Todos os bandidos foram presos.

Compartilhamentos