Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração (Sead), houve o bloqueio do pagamento da primeira parcela do salário de uma parcela de profissionais da educação nesta segunda-feira, 30. Ainda não há uma quantidade exata de afetados.

A Sead explicou que informações inconsistentes e não cumprimento de prazo do Programa de Atualização Cadastral teriam provocado o problema.

A secretaria informou ainda que há previsão de novo bloqueio da segunda parcela, no dia 10 de fevereiro, pelos mesmos motivos.

Os profissionais da educação que tiveram o salário bloqueado devem procurar a Sead, localizada no Centro Cívico, na Avenida Fab, para solucionar as pendências.

A educação representa o maior número de servidores do governo. No total, são 16 mil servidores e calcula-se que pelo menos 95% atenderam ao chamado do programa.

“O fato é que no cruzamento dos dados de lotação, origem, função e demais informações do processo, muitas inconsistências foram encontradas. Por isso, é importante que os servidores que tenham pendências ou deixaram de fazer o recadastramento procurem a Sead o quanto antes”, relatou a secretária de Estado da Administração, Suelem Amoras.

O governo do Estado havia estabelecido o prazo de 28 de novembro a 9 de dezembro para que os servidores pudessem realizar a atualização cadastral.

O programa ocorre em duas fases. A primeira consiste no preenchimento online e apresentação de formulários. Na segunda fase, é realizada a homologação dos dados por uma comissão multidisciplinar, que certifica as informações prestadas no formulário de atualização para serem incluídas no Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos e Folha de Pagamento (SIGRH).

Compartilhamentos