Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os moradores do Conjunto Habitacional Barcellos, localizado no Bairro Pedrinhas, zona sul de Macapá, estão há quatro dias sem água nas torneiras. A bomba que é usada para encher o reservatório do conjunto está constantemente apresentando falhas e, sempre que isso acontece, as famílias fazem coleta para resolver provisoriamente o problema.

Os moradores querem que a Prefeitura Municipal de Macapá ou Governo do Estado assuma a manutenção e a limpeza do local onde fica a caixa e a bomba d’água que abastece cerca de 250 casas. Boa parte das residências não tem poço.

Moradores querem que poder público assuma manutenção da bomba. Fotos: André Silva

Moradores querem que poder público assuma manutenção da bomba. Fotos: André Silva

O servidor público Ângelo Fagner disse que duas bombas são usadas para abastecer o local e que elas já passaram por várias manutenções e, por serem bastante usadas, constantemente voltam a dar problema.

“Queríamos que ou a prefeitura ou o governo assumisse isso aqui, mas como não temos um presidente de bairro que nos represente, nós mesmos fomos procurar a Caesa que nos disse que não compete à ela mas à prefeitura fazer a manutenção. Queremos que alguém assuma isso. Ficar do jeito que está, não dá”, protestou o policial.

Bomba d'água apresenta problemas constantemente

Bomba d’água apresenta problemas constantemente

A agente de endemias Gilmara Lima mora com os pais que são muito doentes, e a falta de água vem tornando a vida ainda mais difícil.

“É muito difícil ficar assim. Imagina dois idosos ficarem sem água em casa. Quando vamos coletar para consertar a bomba é um problema, ninguém quer dar. Então, de quem é  o problema? Quem vai nos ajudar?”, reclamou a agente.

moradores do conjunto barcellos sem água há 3 dias 5

Falta de água ter tornado a vida das pessoas mais difícil no conjunto

A PMM informou que a partir do momento em que a obra é  entregue pela empresa que a executou, a responsabilidade de manutenções posteriores é da própria empresa, e no caso do abastecimento de água quem deve assumir é a Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa).

O diretor da Caesa, Valdinei Amanajás, alegou que o sistema não é pertencente à Caesa, mas que vai se reunir com os moradores do bairro para verificar a situação. Só não informou quando isso ocorrerá.

Compartilhamentos