Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O tenente da Polícia Militar do Amapá, Dilermano do Carmo Luz, de 50 anos, se apresentou à Polícia Civil na noite desta segunda-feira, 20, e foi preso. A apresentação foi marcada por protestos em frente ao prédio do Ciosp do Pacoval.

A apresentação ocorreu por volta das 21h. O policial chegou acompanhado por três advogados. Com a prisão preventiva decretada a pedido do Ministério Público do Estado, ele foi apresentado e levado depois para a realização de exame de corpo de delito.

Parentes aguardam chegada do tenente para apresentação no Ciosp do Pacoval. Fotos: Olho de Boto

Parentes aguardam chegada do tenente para apresentação no Ciosp do Pacoval. Fotos: Olho de Boto

Na saída para a Polícia Técnica do Amapá (Politec), a PM teve muitas dificuldades para conter um grupo formado por amigos e parentes do agente de portaria Fernando Silva da Silva, de 26 anos, morto pelo policial no último sábado, 18, com um tiro na cabeça após uma discussão.

Sob gritos de “assassino!” e “covarde”, ele foi escoltado por agentes da Polícia Civil até uma viatura da PM que aguardava do lado de fora do Ciosp, na Rua Guanabara. O oficial usava calça jeans, tênis e estava com o rosto coberto por um agasalho. Ele foi levado direto para o Centro de Custódia do Bairro Zerão, na zona sul de Macapá. 

“Ele ia se apresentar no dia do fato, mas por orientação nossa não fez para acalmar os ânimos. Vocês viram o que quase aconteceu agora, quase foi agredido. Entendemos a dor da família, mas todos têm direito à defesa”, comentou o advogado Marcos Roberto Marques, um dos três que faz a defesa do oficial. 

Dilermano da Luz estava foragido desde o dia do crime, apesar da prisão preventiva ter sido decretada somente no domingo, 19, depois do período de flagrante. O oficial estava lotado no Centro de Formação da Polícia Militar onde era instrutor de tiro.

Daqui a pouco o portal SELESNAFES.COM relatará o que disseram os advogados de defesa da família da vítima.

Compartilhamentos