Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Policiais da COE, companhia especializada do Batalhão de Operações Especiais (Bope) do Amapá, apreenderam dois menores acusados de participar do assalto que terminou com a morte de uma dona de casa na tarde desta terça-feira, 14, na zona sul de Macapá.

Por volta das 21h, as equipes receberam denúncia anônima indicando o paradeiro exato dos procurados.

“A população tem ajudado muito. Desde a hora do crime nós já vínhamos recebendo várias informações indicando que estavam numa passarela, mas não sabíamos exatamente qual era a casa. A confirmação exata da casa só tivemos depois”, explicou o tenente Hércules, do Bope.

Homem de 42 anos foi preso por dar cobertura para os menores. Fotos: Olho de Boto

Homem de 42 anos foi preso por dar cobertura para os menores. Fotos: Olho de Boto

Os dois menores, um de 15 e outro de 17 anos, estavam escondidos em uma residência numa área de pontes da 12ª Avenida do Bairro dos Congós, também na zona sul. O lugar é conhecido como “Passarela Comandante Maragogi”.

Ao chegar ao local, um deles tentou fugir se atirando na área de ressaca, mas acabou sendo alcançado por policiais que pularam no lago. Um homem identificado como Raimundo Nonato Barbosa, de 42 anos, foi preso por dar refúgio aos menores mesmo sabendo que estavam sendo procurados pelo latrocínio.

A vítima, Bruna Danielli Castro Pastana, de 26 anos, estava com mãe caminhando pela Avenida Terra, no Bairro Jardim Marco, quando foi atacada pelo menor de 17 anos.

Homem foi preso por dar cobertura

Homem foi preso por dar cobertura

Um vídeo gravado por uma câmera de segurança mostra o momento em que as duas, por volta das 15h, passam por uma esquina onde os dois menores estavam. Bruna Pastana estava indo a um colégio matricular o filho.

As imagens mostram que as duas olham em direção à esquina de onde parte o agressor já com a faca levantada. A impressão que se tem é que a intenção já era matar, mas, na delegacia, o menor disse que o objetivo era “apenas” roubar a bolsa da vítima que teria reagido.

No início, ele ainda tentou negar a autoria, mas, depois que o delegado de plantão informou que havia as imagens de segurança identificando-o, ele mudou a versão.

“Ele assume que queria roubar o celular e a bolsa, e que não matou por ordem de alguém. Nas imagens não aparece, mas o comparsa (de 15 anos) ficou parado na esquina dando cobertura. Ele também foi reconhecido pela mãe da vítima”, acrescentou o tenente Hércules.

Bruna foi morta aos 26 anos, indo matricular o filho em uma escola

Bruna foi morta aos 26 anos, indo matricular o filho em uma escola

Menor de 17 anos foi reconhecido como o autor da facada que tirou a vida da dona de casa

Menor de 17 anos foi reconhecido como o autor da facada que tirou a vida da dona de casa

Depois do latrocínio, os dois fugiram de bicicleta. Eles foram apresentados na Delegacia Especializada em Investigação de Atos Infracionais (Deiai) e serão encaminhados para audiência no Juizado da Infância e Juventude ainda na manhã desta quarta-feira, 15. A audiência vai decidir se eles permanecerão apreendidos.

Nesses casos, os menores costumam ser encaminhados para o Centro de Internação Provisória (CIP). Depois de 45 dias, se a Justiça não receber o inquérito, eles podem ser soltos.

 

Compartilhamentos