Compartilhamentos

De Santana, FERNANDO SANTOS

Santana, a segunda mais populosa cidade do Amapá, continua com ruas e avenidas em péssimas condições. Além da dificuldade de tráfego em bairros periféricos, o problema da buraqueira tem aumentado em decorrência da chuva também na região central em locais de maior movimento.

Na Rua Salvador Diniz, no Bairro Nova Brasília, próximo da entrada urbana, quem chega de Macapá no sentido do Distrito de Fazendinha se depara com um buraco que virou um grande perigo.

O trecho fica próximo ao Hospital de Pronto Socorro de Santana e da Escola Estadual José Ribamar Pestana. Motoristas precisam desviar do buraco e o risco de acontecer acidentes é grande.

“Esse buraco era pequeno, mas em poucos dias, a chuva que tem caído deixou ele grande. É preciso que o órgão competente tape esse buraco logo, antes que outros apareçam. O risco de acidente é muito grande. Os carros desviam quase batendo pedestres”, disse o comerciante Edmilson Monteiro.

Comerciante Edmilson Monteiro fez cratera crescer. Fotos: Fernando Santos

Comerciante Edmilson Monteiro vê a cratera crescer. Fotos: Fernando Santos

A cada chuva o "poço" aumenta

A cada chuva o “poço” aumenta

Na Avenida Estélio de Oliveira, também na região central de Santana, a situação é ainda pior. A buraqueira está formada de um lado a outro da via. Para-choques de veículos arrastam no resto de asfalto. 

Enormes buracos também se formaram na Adálvaro Alves Cavalcante, rua que corta vários bairros da cidade, entre eles o Centro. A rua possui uma ciclovia ao meio, e com a buraqueira a pista de rolamento ficou bem menor.

“É muito difícil trafegar nas ruas de Santana. São muitos buracos. O carro fica todo quebrado”, garantiu o motorista Salomão Neto.

A problemática da buraqueira na cidade parece perpétua. Todos os prefeitos que assumem o comando de Santana encontram dificuldades para manter as vias em perfeitas condições de tráfego.

stn 3

A Secretaria de Obras do Município (Semop) informou que pretende realizar a operação tapa-buraco como forma de aliviar o problema.

“Estamos fazendo um levantamento de material, de agregado de asfalto, para criar um volume para começar a operação tapa-buraco. Vamos priorizar a linha de ônibus. O relatório vai ser concluído na sexta (10) e depois vamos montar o cronograma para iniciarmos os serviços”, garantiu Renê Mota, responsável pela usina de asfalto de Santana.

stn buracos

Compartilhamentos