Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

O aniversário de 259 anos de Macapá se concentrou com muita música e batuque na praça Floriano Peixoto, no Centro da cidade, na manhã deste sábado, 4. Não houve o tradicional bolo ou a pescaria no lago, mas mesmo assim a população compareceu para a festa cultural.

Banzeiro Brilho de Fogo percorreu as ruas do Centro. Fotos: Cássia Lima

Banzeiro Brilho de Fogo percorreu as ruas do Centro. Fotos: Cássia Lima

Programação cultural começou com cortejo no sábado

Programação cultural começou com cortejo no sábado

Ao longo de toda praça havia espaços de música, teatro, literatura, dança, feira artesanal e comidas. O prefeito de Macapá, Clécio Luis, que faz parte do cortejo do Banzeiro Brilho de Fogo, deixou uma mensagem especial para a cidade.

“Precisamos revitalizar esse Centro, nossa história e nossa cultura estão aqui e vamos recuperar tudo isso com nossas obras. Quero pedir aos macapaenses que o melhor presente é ajudar a cuidar. Uma cidade melhor depende de todos nós, vamos preserva-la”, frisou o prefeito.

Prefeito de Macapá, Clécio Luís: população precisa cuidar da cidade

Prefeito de Macapá, Clécio Luís: população precisa cuidar da cidade

Festa na Floriano Peixoto

“A gente veio só passear mesmo e dar uma volta no pedalinho. Bonito ver que a praça está sendo cuidada. A gente espera que continue assim”, disse a servidora pública, Geane Sousa, que trouxe toda a família para a festa.

Família aproveita a manhã para usar o pedalinho

Família aproveita a manhã para passear no pedalinho

População ocupou a praça para prestigiar programação de aniversário da cidade

População ocupou a praça para prestigiar festa de aniversário da cidade

Muitas pessoas foram atrás da pescaria no lago, mas como este ano não teve, acabaram ficando para prestigiar a festa que iniciou com apresentações às 9h e segue até a noite.

“Viemos atrás da pescaria. Aí acabamos ficando para prestigiar as apresentações que estão lindas. Vamos voltar sem peixe, mas bem felizes de morar nessa cidade que está começando a valorizar a cultura”, disse a dona Francisca Santos, que estava acompanhada de sua filha Gilvana Santos.

Francisca Santos, de chápeu e sua filha Gilvana Santos.

Francisca Santos (de chapéu) e sua filha Gilvana Santos. Cidade começa a valorizar a cultura

 Na tenda literária ocorreu o lançamento e distribuição de autógrafos do livro “Marabaixo- através da História”, de Fernando Canto. Uma obra conjunta com a prefeitura de Macapá sobre o início do Marabaixo na cidade.

“Nosso objetivo com o livro é o mesmo para nossa cidade: preservar a memória. Isso é o mais importante. Precisamos preservar e manter vivo nosso passado para ajudar as próximas gerações a terem uma identidade artística e cultural”, ressaltou o escritor Fernando Canto.

Fernando Canto:

Fernando Canto: obra trata da preservação da memória de Macapá e do marabaixo

Mas enquanto uns comemoravam, o movimento não foi o dos melhores para os ambulantes. Na área de alimentação não havia quase ninguém consumindo os alimentos. Os poucos clientes que apareceram foram para comprar água.

“Há 25 anos eu sou ambulante e acompanho as comemorações do aniversário da cidade. Hoje está devagar, até às 11h não vendi nada. Eu acho que vieram poucas pessoas e se tivesse a tradicional pescaria daria mais gente pra comprar comida e brinquedos”, disse o ambulante Tedy Farias, de 50 anos.

Espaço de leitura para crianças

Espaço de leitura para crianças

A programação segue na praça até à noite com apresentações culturais e artísticas.

Compartilhamentos