Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O governo do Estado anunciou nesta quarta-feira, 15, que aplicará até o fim de fevereiro uma injeção financeira de R$ 58 milhões na economia do Amapá.

De acordo com o executivo estadual, os recursos já estão sendo destinados desde janeiro para o pagamento de fornecedores de materiais, obras, prestadores de serviços, beneficiários de programas sociais e precatórios.

O dinheiro é oriundo da rubrica financeira conhecida como “restos a pagar”, vinculados ao exercício financeiro de 2016.

A abertura orçamentaria em janeiro permitiu que a execução financeira acompanhasse o quadro de detalhamento de despesas, publicado no início do exercício de 2017. Por isto, os pagamentos por serviços e fornecimento de materiais previstos para 2017 só começarão depois que forem quitados os débitos de “restos a pagar”, relativos ao exercício anterior.

“Decretamos a abertura do orçamento no primeiro mês do ano e acabamos com o calote público, e estamos priorizando nos dois primeiros meses do ano o pagamento de quase todos os restos a pagar de 2016. Isso nunca havia ocorrido em 26 anos de Estado”, disse o governador Waldez Góes.

Com a medida, os fornecedores que não receberam até 31 de dezembro de 2016, são reabilitados no Sistema Integrado de Planejamento e Gestão (Siplag) e os pagamentos são efetuados segundo a ordem cronológica estabelecida pelo governo no ano passado.
O chefe do Executivo também lembrou que durante os anos anteriores era comum esses pagamentos ficarem fora das prioridades no início dos exercícios.
“Há 26 anos que o Estado só abria o orçamento em março e não tinha compromisso com restos a pagar. Estamos findando um ciclo de calote público imposto aos fornecedores durante anos no Amapá”, finalizou.
Compartilhamentos