Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A moradora do Bairro do Araxá, Dinelva Pereira, de 42 anos, saiu de casa na manhã de terça-feira, 7, e só retornou para tomar um “banho rápido”. A pressa foi necessária para não perder o lugar na fila da marcação de consultas do Hospital das Clínicas Alberto Lima (Hcal). No fim desta manhã, ela completou 24 horas na fila.

Tentando manter o lugar e ainda se protegendo da forte chuva que caía em Macapá, por volta das 9h ela estava sem tomar café e esperando que o “sufoco” diminuísse.

“Antes eu madrugava aqui e era atendida. Agora a gente vem um dia antes e não tem certeza se vamos conseguir vaga ou não. Eu tive que brigar pra ter garantia da minha vaga, mas minha dignidade está no lixo”, desabafou.

filas na marcação de consultas (5)

Pacientes dizem que não sabiam da mudança nos dias de marcação. Fotos: Cássia Lima

Dinelva tenta uma vaga para a primeira consulta do marido com um cardiologista. Ele sofre picos de pressão alta e ficou em casa. Há quase dois dias, a esposa se alimenta com refeições vendidas por ambulantes dentro da área do hospital.  

“O ideal era uma marcação todo dia de todas as especialidades. Isso podia ser informatizado, por mais que prolongasse a consulta, mas seria melhor pra gente não madrugar e virar o dia no hospital”, reclamou ela.

A crítica que a dona de casa faz é em relação à mudança da marcação de consultas feita pela direção do hospital. Antes, a primeira consulta e remarcações eram feitas pela manhã. Mas, a partir desta quarta-feira, a situação mudou.

Dineia Ferreira

Dineia Ferreira: deveriam descentralizar a marcação

A Secretaria de Saúde decidiu que o agendamento da consulta/retorno dos pacientes para as 27 especialidades do hospital passa a ser feita de 8h às 12. Já para o primeiro agendamento, a marcação é feita de 14 às 18 hs. O agendamento acontece de segunda a sexta, mas cada dia é para uma especialidade diferente. O objetivo era justamente descongestionar a fila e impedir que pessoas continuem madrugando no Hcal.

A mudança também pegou de surpresa Marileide Barreto, de 58 anos, que tenta o agendamento no cardiologista para ela mesma. Ela também acordou cedo porque mora no Conjunto Sol Nascente, na Zona Norte de Macapá.

“Eu estou aqui desde 4h da manhã, não tem como eu voltar às 14h porque não vai ter mais vaga e eu não ia conseguir. Quanto eu cheguei já tinha umas 30 pessoas na minha frente. Aqui tá uma confusão porque as filas estão se misturando. Tem que ficar de olho”, diz.

Com mudança, precisa consulta só é marcada à tarde

Com mudança, primeira consulta só é marcada à tarde

Marileide Barreto

Marileide Barreto: sorriso, apesar de ter chegado às 4h

A faxineira Dineia Ferreira, de 47 anos, também madrugou na fila tentando vaga para o cardiologista. Ela chegou às 7h na fila para marcar a primeira consulta, que será só à tarde.

“Isso aqui nunca foi organizado. Não tem método que o governo use que isso melhore. Acho que o ideal era descentralizar, colocar pontos de marcação na Zona Norte e Sul. Ficamos aqui na chuva e sol com fome, sem lugar pra sentar. Isso não é vida pra ninguém”, frisou.

Mesmo com toda a reclamação, a coordenação da marcação de consultas do Hcal informou ao ao portal SELESNAFES.COM que o novo método de agendamento de consultas está sendo implantado está semana e que é natural reclamações. Não há previsão de novas mudanças. 

Compartilhamentos