Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A 3ª Vara Criminal de Macapá mandou soltar na tarde desta sexta-feira, 3, o empresário Frederico Modesto, indiciado pela Polícia Civil do Amapá por sacar precatórios ilegalmente de contas inativas do Banco do Brasil na capital.

A defesa explicou que a prisão preventiva foi decretada não pela acusação de fraude, mas por outro inquérito que apurava uma briga de bar onde ele estava envolvido.

“Foi preso porque não tinha sido localizado, e a Justiça achava que ele estava foragido. Mas provamos que ele está à disposição para esclarecimentos”, comentou o advogado Auriney Brito.

Carro do empresário apreendido pela PC. Foto: Olho de Boto

Carro do empresário. Após prisão, veículo não chegou a ser apreendido. Foto: Olho de Boto

Modesto foi indiciado pela Polícia Civil por sacar mais de R$ 2,4 milhões de contas de correntistas já falecidos, ou que ainda precisavam de decisões judiciais definitivas. As investigações apontaram que ele teve informações privilegiadas de um ex-gerente do Banco do Brasil que foi demitido, e conseguia sacar usando documentos e declarações falsas registradas em cartório. 

“Agora é comprovar a inocência dele no processo por fraude e livrar ele desse estigma de Barão”, concluiu o advogado, referindo-se ao apelido do empresário nas redes sociais. Auriney Brito informou que Modesto é empresário do ramo de revenda de veículos. 

A Polícia Civil chegou a deter um Camaro do empresário avaliado em cerca de R$ 200 mil, mas o veículo não chegou a ser apreendido. O gerente do Banco do Brasil continua sendo investigado.

Compartilhamentos