Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A solidariedade marcou o último sábado, 11, quando mais de 150 pessoas se voluntariaram para doação de medula óssea em prol da estudante de Direito Eliany Nascimento, de 21 anos. O tamanho da procura surpreendeu os organizadores no primeiro dia da campanha “Por mais doadores”, do Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap).

campanha por doação de medula reuniu centenas de voluntários. Fotos: Secom/divulgação

Campanha por doação de medula reuniu centenas de voluntários. Foto: Secom/divulgação

A corrente do bem foi divulgada nas redes sociais para ajudar a estudante que há 6 meses foi diagnosticada e faz quimioterapia em São Paulo contra uma leucemia. A ação colheu amostras de sangue para exames de compatibilidade com a jovem.

“Foi um tremendo sucesso graças a Deus. Estamos agradecidos pela procura e pela parceria com o governo, mas queremos dizer para as pessoas que isso é apenas o início. Vamos continuar com mais ações até encontrar alguém compatível”, frisou a prima de Eliany, Jéssica Nascimento.

Eliany está em São Paulo realizando tratamento. Foto: arquivo familiar

Eliany está em São Paulo realizando tratamento. Foto: arquivo familiar

Ao todo, o evento de solidariedade cadastrou 155 pessoas no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). Além disso, mais 62 que fizeram cadastro reserva ficaram de passar no Hemoap durante esta semana. O momento superou as expectativas de familiares e amigos.

“Ela está inchada e sente todos os sintomas do tratamento agressivo. Sabemos que não será fácil já que a possibilidade de encontrar o doador é um em cada cem mil.  Mas pedimos que todas as pessoas que vão ler essa matéria que doem no Hemoap”, apelou Jéssica.

Eliany e a irmã gêmea, Elaine. Estudante

Eliany e a irmã gêmea, Elaine. Estudante luta para encontrar doador compatível. Foto: arquivo familiar

Eliany Nascimento é servidora da Sesa e descobriu a doença em julho de 2016, durante uma viagem de férias. Ela já faz sessões de quimioterapia, mas a única esperança da jovem estudante é o transplante de medula óssea.

Para se cadastrar

Para doação de medula óssea, o interessado deve ter boa saúde, mais de 18 anos de idade e não possuir doenças sexualmente transmissíveis. O cadastro pode ser realizado diariamente no Hemoap com CPF, identidade, o preenchimento de um formulário e uma amostra de 5ml de sangue.

campanha por doação de médula reune dezenas de voluntários (4) fotos do governo

Quantidade de voluntários surpreendeu no sábado. Foto: Secom/divulgação

Todos os dados são levados ao Redome, e caso seja encontrado algum paciente compatível, o voluntário é convocado para se submeter a uma bateria de exames que irá comprovar a compatibilidade com o receptor.

Transplante

O transplante de medula ocorre com uma pequena cirurgia nos ossos da bacia onde é retirada a medula óssea. A pessoa que recebe passa por um tratamento como se fosse uma transfusão de sangue. Essa nova medula óssea é rica em células chamadas progenitoras que, após mergulharem na corrente sanguínea, circularão e irão se alojar na medula óssea, onde se desenvolverão.

Compartilhamentos