Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

O Procon Amapá recebeu diversas denúncias de servidores do Estado que ainda não receberam o reembolso do Banco do Brasil. O desconto indevido foi realizado em novembro em mais de mil servidores que realizaram empréstimo consignado para pagamento no 13º salário. Na semana passada, o banco anunciou que devolveria o dinheiro até o dia 30 de janeiro.

Segundo o Banco do Brasil, o desconto nas contas correntes dos servidores do Estado ocorreu por causa de um erro no sistema. Mas que, devido às reclamações, o erro foi detectado. Apesar da informação do banco, existem servidores que ainda não receberam o reembolso.

Em reunião de negociação, Banco do Brasil afirmou que reembolso ocorreria no dia 30. Fotos: Cássia Lima

Em reunião de negociação, Banco do Brasil afirmou que reembolso ocorreria até o dia 30. Foto: Cássia Lima

“Continuamos recebendo reclamações de servidores que ainda não foram reembolsados. Já notificamos o banco e estamos aguardando a resposta. Vamos garantir que os direitos dos consumidores não sejam lesados”, frisou o diretor do Procon, Eliton Franco.

De acordo com a Associação dos Militares do Amapá (Asmeap), o desconto chegou a ultrapassar 40% do salário mensal de alguns militares. Existem casos de professores que a cobrança chegou a 100% dos vencimentos.

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), informou ao portal SELESNAFES.COM que cerca de 30% dos servidores públicos fizeram empréstimos em bancos e, como de costume, deram como garantia a primeira parcela do 13º. Os casos continuam sendo analisados.

O Procon-AP frisou que o servidor que se sentir lesado pelo não reembolso pode entrar em contato com a instituição por meio do número 3312-1019.

Compartilhamentos